terça-feira, 20 de outubro de 2015

AUTORIDADE MORAL... O que é isso?

Outro dia, um aluno me perguntou o que era exatamente autoridade moral. Na pressa, respondi que se tratava de uma pessoa que tinha competência e conduta moral para liderar. Na verdade, é algo bem mais do que isso, pois pede que a gente entenda que a autoridade moral é algo que se conquista quando seus atos são plenamente "afinados" com suas palavras.
Muitas vezes, os atos são tão plenos que nem há necessidade das palavras. Por outro lado, a presença das palavras sem a existência dos atos que as suportem caracterizam a hipocrisia. Esta basicamente, constitui de uma necessidade de parecer ao seu meio algo que os seus atos não demonstram, que são.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Confissões de um velho professor

Queridos alunos, 

demorei uns 22 anos para escrever essa mensagem, mas seguem nas linhas abaixo as confissões de um professor, atualmente, com mais tempo de profissão do que muitos de vocês têm de vida.
Pois é, contra tudo e todos os fatos possíveis, na no final da década de 80, resolvi me tornar professor há mais de duas décadas. …, sim. … vocação mesmo. uma vez me perguntaram o que eu seria se não fosse professor, não consigo responder nada além do óbvio: eu seria frustrado.
Gosto de estar com vocês desde o primeiro dia em que entrei numa sala de aula. A primeira sensação que tive foi de "uau! Isso é bom demais".. E ainda me pagam para isso. Eis me aqui até hoje com a mesma sensação.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Onde perdemos a ternura no caminho

Em algum ponto da nossa existência perdemos a dimensão do zelo com o outro em nome de ideologias que com o vento vem e na mesma brisa se vão. Lembro-me de algumas mulheres que conheci em minha vida que repetiam com orgulho que estava para nascer o homem que as faria ir para cozinha, nem para buscar água, concluíam. 
Eu entendo que há toda uma carga histórica da cozinha como ambiente de opressão da condição feminina, mas nos esquecemos de que por trás do ato de cozinhar para o outro, está o ato de cuidar. Acho que negar esse gesto como manifestação de carinho é um grande equívoco. De uma mulher, recebemos o primeiro alimento que se confunde com carinho e proteção, o seio. O alimento é a maneira mais ancestral de dizer ao outro que amamos, que nutrimos, que cuidamos.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Tias Velhas, uma espécie em extinção

Tias velhas são uma instituição nacional. Desde minha mais tenra infância, eu me lembro delas nos aniversários de família em frente à TV (sim, "delas, pois elas andam em bandos, são seres gregários por natureza) e fazendo xiiiiiii para as crianças que faziam alvoroço em correrias que atrapalhavam escutar a novela.
Sempre me inquietou saber onde elas se escondiam nos dias em que não havia festas de aniversário. Talvez uma espécie de armário gigante onde ficavam em estado de hibernação e só saiam de lá para as festas em que se atualizavam das fofocas mais novas (quem casou, quem separou, quem tem o filho bem sucedido, quem tem o filho problemático, quem conseguiu bom emprego etc)

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Realmente, de verdade mesmo...

Realmente, os números não mentem. Quem mente são as pessoas que usam os números para se beneficiar de alguma forma dos resultados que se podem extrair deles. 
Olho com receio todas as pesquisas e tento entender como, onde e qual foi o fluxo de coleta da amostragem e metodologia. Parece complicado, não é? Mas até que não.
Por exemplo, vejo uma pesquisa sobre o extermínio de ovelhas em uma determinada fazenda. Um lobo invade durante a noite e ataca matando sempre algumas. Nessa mesma fazenda, existe 1 cabra para cada 7 ovelhas que ficam no mesmo espaço. O número de cabras mortas é uma ou duas por semana no máximo enquanto o de velhas pode chegar a 7 a 14.