domingo, 19 de abril de 2009

A sublime arte de ouvir

A vida nos dá grandes lições e a maior delas são aquelas que têm como protagonistas os outros e não nos mesmos. Como em um filme, assistimos aos erros alheios e, se atentos formos, aprendemos como agir ou, melhor ainda, como não agir. Já vi quedas de onipotentes que, cegos por suas certezas, tropeçaram nas pernas.

As grandes lições que tirei da minha vivência em ambientes corporativos é que cada vez temos mais chefes e menos líderes. Ao líder é inerente o culto ao "ouvir", mas ao chefe, a cegueira da própria vaidade faz com seus ouvidos se lacrem e o único som que lhe chegue é o que já está dentro de sua cabeça. Sabe que, por isso, há alguns anos abdiquei do desejo de falar com pessoas que não querem ouvir. Diante delas, eu ouço, coloco o cérebro no piloto automático e sigo em frente.

É necessário ouvir para concordar e discordar, para entender e até mesmo não entender, para gostar ou detestar. Entretanto, na ânsia de falar ou de impor o que temos a certeza de que é o certo, esquecemos que o certo é não impor, mas compartilhar a decisão para vermos se ela está correta. Em cargos de comando, a maioria das pessoas se nega a ver que, na vida, nunca somos, só estamos. E vivemos como se fôssemos... assim, para sempre. Mas não somos. 

Um retrato dessa falta de "ouvintes" é que, ao abrirmos um jornal vemos cursos de oratória, como falar, como impostar a voz, como ser eloquente, mas nunca vemos um curso de "como ouvir bem", "o que devemos prestar atenção quando falam conosco", uma espécie de arte "auditória". 

E, assim, seguimos, falando, falando, falando... e, às vezes, ouvindo em um mundo em que a natureza já nos proveu sabiamente de uma boca e dois ouvidos, para que fizéssemos uso mais destes do que daquela.

Em tempo:
Constatação aos 37: Na minha vida obtive mais benefícios quando ouvi do que quando me aventurei a falar quando devia, somente, ouvir.

10 comentários:

joao Assis disse...

Marcelo,
Certa vez ouvi do amigo Nacir Sales,uma frase muito interessante:
Falar é prata,ouvir é ouro.
E tenho feito bom uso desse ensinamento,parabéns pelo belo artigo.
Um forte abraço,amigo.

Fabiano Roberto disse...

se todos nós ouvissemos mais em vez de querer dizer tanto certamente o mundo seria melhor.

essa frase foi demais:
a cegueira da própria vaidade faz com seus ouvidos se lacrem e o único som que lhe chegue é o que já está dentro de sua cabeça

parabéns

... disse...

E é incrível como essa incapacidade de ouvir e a mania de falar se transpõe até para o universo dos blogs, incapacidade essa que se entrega nos bons e velhos comentários do tipo "Hahahahaha. Muito bom. Visita meu blog" ou "Gostei muito. Visita meu blog" ou "Não li nada e só vim divulgar meu blog. Visita meu blog". Tá bom, comentário sincero como esse último eu nunca vi.

David Cohen disse...

Realmente o ambiente corporativo é uma escola, sei bem como as coisas acontecem. Saber ouvir é um dom, uma aptidão dominada por poucos. "Os sábios aprendem com os erros dos outros, os tolos com os próprios erros e os idiotas não aprendem nunca."

Luiz Antonio André disse...

Quando trabalhei com vendas, há uns 23 anos atrás, tinha um gerente que sempre dizia: - O bom vendedor ouve mais e fala menos. Das vezes que segui seu conselho sempre me dei bem e me dei mal quando fazia justamente o contrário.
Abraços

Anônimo disse...

Marcelo,

Este post deveria ser distribuido para todos que convivem em algum tipo de comunidade, seja corporativa, associações, igrejas, etc.

E deveria ser lido em casa também, para que todos já saíssem a rua com a leveza da arte de ouvir.

Certamente, aprendemos muito mais ouvindo do que falando e em determinadas situações, calar faz toda a diferença.

Cris

Gab disse...

O dom de ouvir é uma arte.
Se ouvíssemos mais, teríamos mais compaixão uns pelos outros.
Conheceriamos mais os outros.

A fila de pacientes do psicólogo seria filtrada daqueles que vão porque precisam apenas serem ouvidos.

Caio Rudá disse...

Pois é, rapaz...

Já dizia o velho e bom ditado chinês: temos um boca e dois ouvidos, mas nunca nos comportamos proporcionalmente, o que é lamentável.

Você foi bem pontual, Marcelo. Não há muito o que acrescentar aqui.

Abraço.

Viviane Righi disse...

Olá!
Sábias palavras as suas...

Frequentemente somos bombardeados com situações desagradáveis que bem poderiam ser evitadas se usássemos mais os ouvidos do que nossa língua.

Silenciar, muitas das vezes, é uma atitude inteligente. Mas não apenas silenciar, simplesmente: SABER OUVIR é fundamental.

Abraços!

http://deixafluir.wordpress.com/

Wander Veroni disse...

Oi, Marcelo!

Seu post foi no alvo: as pessoas esquecem que ouvir é tão importante quanto falar. Além disso, assumir que erra ou pedir ajuda não é vergonha para ninguém, pelo contrário é sinal de humildade e inteligência. Apesar do pouco tempo de vida - tenho só 24 anos, acredito que a liderança é um dom natural, e não apenas um cargo.

Abraço