quarta-feira, 13 de junho de 2018

Depois de 2013... Acabou ficando nos R$ 0,20

Está fazendo 5 anos dos protestos de 2013. Sim.. aquele que o pessoal foi para a rua dizendo que não era pelos R$ 0,20 de aumento da passagem de ônibus. 
O mais impressionante naquela mobilização foi o caráter apartidário dos protestos. Eram pessoas comuns gritando contra a corrupção, contra os desmandos dos políticos gestores e, principalmente, contra um governo de um partido de mais de uma década que agora agonizava a olhos vistos (e viria a morrer tempos depois). 
Era um grito de “para, vamos refazer que não deu certo”. 
A coisa ia bem e, mesmo quando os grupos políticos começaram a se infiltrar para pegar carona na força do movimento e tirar proveito da situação, as pessoas viam o evento como algo legítimo. 
Até quando surgiam grupos como os Black Blocks, uma prova da existência da máquina do tempo, pois se trata de uma galera que veio dos anos 60 para gritar contra o capitalismo e imperialismo, os EUA, as multinacionais e, depois, confraternizar no Burger King. 
Foi uma mobilização nunca antes vista na história do país, mas que deu com os burros n’água. Por quê? O cenário era todo democraticamente favorável. 
Já na época apontei o problema central das coisas: falta de foco. Gritava-se pela ética, pela justiça, pelo bem comum.... mas isso é muito vago e fez a manifestação parecer aquele cachorro que corre atrás do caminhão e, quando o veículo para, ele fica sem saber o que fazer. Pois o governo parou e disse: tá! E o que vocês querem? 
Segue a lista: Justiça social Paz na terra Mais amor por favor... 

... Então Obviamente, é um exagero o que coloquei, mas foi mais ou menos assim. Faltou foco. Assim fica tenso, assim fica difícil... Mais paciência por favor... 

E, no final das contas, ficou só pelos 0,20.
Postar um comentário