terça-feira, 21 de junho de 2011

Não se faz 40 anos todo dia.... ainda bem! (postagem de aniversário)

No dia de hoje, comemoro que há 40 anos meus pais deixaram de ser filhos somente e se aventuraram na mais sinuosa e arriscada das aventuras, ser pais. Planejados ou por acaso, por querer ou sem querer, ei-los logo ali, filhos, acordando de noite, dando problemas na escola, tirando nossas noites de sono. E sabe por que? Por que quem tem filhos tem razões de sobra para dormir menos, sair menos, ir ao teatro menos, etc menos.. pois eles são aquela versão de Camões sobre o amor: um contentamento descontente, uma dor que desatina sem doer.
Por isso, nesse meu aniversário de 40 anos, quando já há três anos deixei de se só filho e entrei para a categoria dos “paiê” (duas vezes, Daniel e Bruno), acho que devo dar parabéns a eles (meus pais) que tocaram esse barco durante tanto tempo comigo. Conviveram com a angústia de não saber no que iria dar aquele menino, um sucesso, um bandido, um neurótico, um canalha, sei lá... Talvez até um político. Não, minha mãe não seria capaz de imaginar algo tão ruim para seu filho nem nos piores pesadelos.
Mas eis-me aqui, professor. Se não há motivos para comemorar efusivamente, pois eu ganho talvez um pouco menos do que o Neymar, também não é motivo de se envergonhar. E meus pais que, depois de tanto tempo abandonaram a categoria de ‘só’ pais, ingressam na categoria dos avós. Uma espécie de mar calmo da existência familiar onde sua única função obrigatória e ajudar de forma efetiva a deseducar os meus menininhos que, por tendência natural, se incorporam a essa empreitada dos avós com maestria.
Agora, vou atender o meu Daniel que está me convocando para brincar com o seu Hulk. Paiê...!
Enquanto isso, ficamos com a musiquinha de sempre, mas remodelada. Parabéns para vocês (pais), nessa data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida.

Ah sim... e eu continuo o mesmo. Carinha de 40, mas corpinho de 39 (e meio).

Postar um comentário