sábado, 31 de outubro de 2009

Twitter veio para ficar - a síntese da construção da informação


Discordo do Saramago quando ele diz que o twitter é algo que nos coloca a um passo do grunhido. Pessoalmente, não gosto do jeito de ele escrever e acho que muita gente deve pensar barbaridades sobre aquele mania de não fazer parágrafo em seus livros. Minha relação com ele é a seguinte: gosto da história, não gosto da forma.
Uma vez já apontei aqui que o blogue é uma linguagem diferente e que encontra sua limitação nas barras de rolagem de um monitor. Textos muito longos, temática pesadas ainda são casos distantes da realidade dos leitores de tela. Há colegas que resolvem publicar capítulos de seus livros em blogues. Pessoalmente, isso não dá certo. Até porque há um ponto de saturação de leitura no monitor. Ninguém aguenta ficar lendo páginas e páginas, por horas, na frente de um monitor.
O blogue pede uma linguagem mais rápida e mais eficiente. Um uso adequado do hipertexto para não cansar o leitor. E onde o twitter entra nisso? Pois é... o Twitter é a síntese da informação que coloca o leitor direto no ponto para sair atrás da complementação que lhe interessa e assim cria um critério de triagem mais segmentarizado do que qualquer outro.
Tenho a convicção de que tudo que já havia para ser dito já o foi. Os blogues vêm nos ensinar como se diz isso na internet e o twitter nos mostrar como dizer o máximo com o mínimo de palavras. O mais, o leitor busca por si. Só apontamos o caminho.
Desculpe, Saramago... mas você está errado.
Aliás, você, leitor, já está seguindo o saco de filó no twitter?

Twitter Button from twitbuttons.com

6 comentários:

LL disse...

Bom dia Marcelo!

Bom, eu não conheço o Twitter! Estanho, não é? Tenho lá uma conta e envio os meus artigos através de outra rede, de vez em quando vou lá aceitar seguidores, mas simplesmente não me sei 'mexer' lá dentro. Vou tentar explorar, uma vez que parece ser uma boa forma de divulgar e angariar informação.

Quanto ao Saramago, a minha relação com 'ele' é de cansaço por volta da 60ª página... e também tem muito a ver com a forma.

Abraços
Luísa

Lomyne disse...

Ora, meu caro, sempre temos que ceder às mídias não é mesmo? A pressa, a urgência me Parece cada vez mais inerente ao ser humano, ou aprendemos a dizer tudo mais depressa, ou seremos ouvidos por cada vez menos gente... Até que slow blog vire modinha assim como slow food. E ainda assim, sabemos que será passageiro...

Nando disse...

Já que estamos falando de escrita e forma, concordo com tudo, exceto com a forma da sua penúltima frase. Há erro em conteúdo de opinião?

Marcelo disse...

Não creio que seja um erro de opinião, mas só mais uma opinião. Assim como a do Saramago sobre o twitter.

Nando disse...

Exato. Saramago apenas expôs sua opinião sobre o Twitter. Sua opinião é diferente da dele. E, só por isso, você diz, na sua penúltima frase, que ele está errado. É mesmo uma questão de erro?

Marcelo disse...

É. Você tem razão.