segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Filosofia popular pela metade... Daí...

Alguns autores de linguística dizem que não existe o texto incoerente, nós é que não conseguimos ancorar a compreensão no plano em que o enunciado se origina.
Sei não...
Não que eu discorde totalmente, mas acho que tem gente que abusa desse argumento, às vezes, sem ao menos saber que ele existe.
Conheci uma senhora que adorava ilustrar os seus discursos com um dito popular que, vez por outra, não dizia nada com coisa nenhuma. Certa vez, contando-lhe o caso de um rapaz que estava namorando uma moça que era encrenca pura ela disse: é isso aí, o bom filho a casa torna. Outra vez, uma pessoa próxima lhe narrou um caso de um homem que traiu a mulher, morreu na casa da amante e foi a mulher que teve que buscar o seu corpo. E ela concluiu: Em casa de ferreiro, o espeto é de pau.

Consigo associar a idéia do espeto de pau com um monte de coisas menos com a moral da história.
Na adolescência, tive um colega que para dar uma de intelectual sempre concluía uma história com uma pequena passagem de um livro qualquer que ele tenha lido(sic). No meio de uma discussão acalorada ele dizia: ó, ó, ó... só. Um homem saia todas as manhãs para pescar, um dia ele saiu e encontrou um lobo no caminho, aí ele voltou para a casa sem nada... Sacou? Entendeu onde quero chegar?Sinceramente, não.
Mas os piores são os recitadores de meios ditos populares. Contou uma história e lá vêm eles: Em casa de ferreiro... Aí contamos um problema e ele concorda com mais um: vão se os anéis... (sempre seguido de um arquear de boca para baixo). Mais uma história e o infame: água mole em pedra dura... Mais um caso e pronto.. lá vem ele: De grão em grão...
Aí você desiste de contar as coisas para ele.

Afinal de contas, em casa de enforcado...
(A frase acima não tem nada a ver com a moral da história. Mas tem coerência com o texto... isso tem.)
***

Em tempo: O dito que eu mais detesto é “quem desdenha quer comprar”. Pensa bem, você passa na rua olha um monte de bosta de cachorro, faz cara de nojo (desdenha), logo, você quer comprar aquele monte de bosta... huumm.
Podia ter pego, era grátis.
Tá bom.
***

32 comentários:

Rosangela disse...

Hahahaha, to rindo muito aqui! Lembrei de uma briga que tive com meu marido, só por que coloquei no meu orkut; "errar é humano, colocar a culpa nos outros é estratégia". Me ferrei, ele entendeu a moral da história!
Abraços!

Katarina disse...

Adorei o texto e adorei o blog... afinal... filho de peixe, peixinho é!
Abraço.

blog disse...

A linha da ironia é mantida, hem, meu caro??!
Gostei da senhora dos ditos populares, a primeira a aparecer no texto. Se não for personagem de ficção, é ótima.
Se for, é melhor ainda.

Heitor disse...

É, meu amigo... Em rio que tem pinranhas, jacaré anda de costas. Porém, nunca se esqueça de que mais vale um passaro na mão do que dois voando. Tudo conversa para boi dormir, enfim...

Sandro S. dos Santos disse...

um texto pode ser incoerente para quem lê, mas pode ser coerente para quem escreve. Escritora que escreve muito bem sobre esse assunto é Ingredore Koch.

Miin disse...

Por isso eu nunca uso expressões criadas por outras pessoas. Elas irritam. Prefiro criar as minhas.
Por isso... Se pá, dois reais e um pouco de graxa nos cotovelos (minha predileta) e fingimos que o que eu acabei de escrever tem um pouco de coerencia. AH SE TEM!
:D


~muitosobrealgo.blogspot.com

DuDu Magalhães disse...

é um grande problema isso, nos tornamos 'repetidores de filosofias baratas' e não questionadores das mesmas...


Senso comum?!

Não sei, mas vejo que é incomum achar algo diferente, inovador...

Saudades dos tempos que não vivi...


abrass

http://visaocontraria.blogspot.com/

André Kaworu disse...

OLá...vindo aqui pela primeira ve e lendo esse post e o anterior..ri muito com os dois, principalmente com esse. realmente algumas pessoas "colocam" ditados populares em coisa que não tem nada a ver.... e concordo que o "quem desdenha quer comprar" não é um dos ditados mais certo, mas sendo sincero, existe algum totalmente certo? Abraços e boa semana

Wander Veroni disse...

Oi, Marcelo!

Concordo contigo nesse aspecto da coerência incoerente dos ditos populares qdo usados aleatóriamente, como chavão.

As pessoas repetem as coisas, muitas vezes, por acreditarem q isso é bem aceito no grupo ou que mostra um certo grau de intelectualidade.

Os ditos populares são úteis qdo usados dew forma coerente, e não para concluir algo mais complexo, só para levar a reflexão.

Tem post novo no Café. Depois passa lá.

Abcs,

=]
__________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

truquesorkut disse...

Adorei o texto e adorei o blog... afinal... filho de peixe, peixinho é!
Abraço.

Maiara Maria disse...

E fez-se a estética da criação verbal... "Ecce Homo" e baratchos têm muito disso. Mas, ora, quem o é? Dele, eu só ouço música erudita e olhe lá.

Alê disse...

Muito interessante seu blog .. hehehehehehehehe xD

É.. cada expressões, mas têm que tomar cuidado onde usa-las.Adorei o texto.

Visite o meu blog também:
www.muitosobrealgo.blogspot.com

Vlww !

Anônimo disse...

huahuahauhauhauhauha
boa
xD
e jah que vc conhece tantos ditos populares... tem alguma ideia do que significas estar feliz como pinto no lixo?!
esse eh o pior de todos... e ninguem sabe dizer o que significa...
xD

se puder responda num comment no meu blog
http://blogdatolinha.blogspot.com/

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Quem com ferro fere, espeto de pau.

Ou ainda: Como é que se onde há fumaça a fogo, sendo que nem tudo que reluz é ouro?

Flávia Damato disse...

E pensar q muitos repetem a blasfêmia " a voz do povo é a voz d Deus". Putz... (Deus, dai-me paciência, sempre, porque se eu pedir força... nem sei) rs

Definitivamente, não tenho saco (d filó, d couro, d crochê) p/ essas coisas. Comigo é assim: escreveu não leu... é semi-analfabeto. rsrs

Abç!

Letícia disse...

Hahaha Marcelo, vc tem toda a razão. É um saco mesmo esse tipo de papo. Outra coisa que é um saco são as frases pseudo-intelectualóides, na linha "a nível de"... Aí, o cidadão já perde a minha atenção, o respeito... Não dá!
Vamos trocar links? Eu adoro passar aqui e, às vezes, demora um pouco, com o Saco no blogroll, é um bom reminder. Tô subindo.
Beijo pra vc!
Letícia.
http://babelpontocom.blogspot.com

Aline disse...

Retribuindo a visitnha... =)
Essa coisa de dito populares é esgraçada mesmo... tem gente q tem mania de citar um em toda conversa.
Muito bom o seu blog.

Letícia Castro disse...

Não, não se preocupe, eu realmente achei que o Saco de Filó já estava no blogroll. Tb só sugiro parcerias dependendo da qualidade e obrigada por linkar o Babel por isso então.
Beijão!

Anônimo disse...

Eu detesto: "Quem cala, consente"

Esse é o lema daqueles que não conseguem ficar calados e enchem o saco e ficam querendo que você também começe a falar b****.

até.

Sammyra Santana disse...

rsrsrs

muioto divertido ler seu texto

tô rindo até agora com o espeto de pau! huahauahuahauhauahau

Bom demais vir aqui!

Michell Niero disse...

Você esqueceu de dizer que a linguística considera sempre o contexto em que mensagem está sendo emitida. Dizer frases fora de contexto, de fato, não provocam muito entendimento. Mas isso não significa que devemos achar que a filosofia popular é incoerente. Calma lá!

Marcio Sarge disse...

Por isso que eu digo " Quem tá na chuva é pra se molhar""

Brincadeira rs.

Emanuel disse...

Ditos populares realmente enchem o saco principalmente em hora inconveniente.

Bem legal seu blog!

Lucas Fernandes disse...

Marcelo,

Concordo contigo que várias pessoas mal sabem usar os ditos populares que soam aos ventos.

Contudo, eles são parte da nossa cultura e por isso, é importante que permaneçam vivos.

Você argumentou bem: use-os, desde que com inteligência e coerência.
___________________________________
http://semfronteirasnaweb.blogspot.com

Jonatas Fróes disse...

Eu também odeio os ditos populares. Acho que eles são pura perturbação, coisa de quem não sabe o que falar, ou que não entendeu bem o que dissemos. Enfim, é um saco mesmo.

[]'s

http://musica-holic.blogspot.com/

bob.loco Ah ViDa Eh lOcA mAnO!!! disse...

pois eh
minha mae sempre me falou
me diga com quem andas que te direi quem es

ditos populares todo mundo conhece
abraços
http://blogaragem.blogspot.com/

O Sábio Niestévisky disse...

Muito bom o seu texto, aliás, gostei do blog todo!

Lomyne disse...

Ora vamos lá que a raposa e as uvas verdes têm bem mais poesia... Se bem que considero a língua portuguesa a maior vítima de acidentes, ataques e verdadeiras guerrilhas em nosso país... Nós com a faca e o queijo na mão e tanta gente por aí fazendo essas nhacas...

Neto disse...

Gostei do post, tbm concordo em parte com a inexistencia do texto incoerente, e uma forma de justificar a "burrice".
Ei se vc coleciona selos para blos, vai no meu e pega la um que fiz.
vlw

Pra mim é tudo isso mesmo, quase nada... disse...

Rsrsrsrsrsrsrs...ADOOOOOROOO!!!
Eu Seeempre, seeempre uso ditados populares...e pior, na maioria das vezes eu erro, esqueço o fim, ou confundo com outro!!!rsrsrsrs
Mas eu concordo, que existem momentos, onde ficar calado é melhor do que falar essas frases que, ÁS VEZES, não tem nada a ver com a situação....
Mas excelente....quem desdenha quer comprar é péssimo, não serve pra nenhuma situação...eu pelo menos nunca uso este....rsrsrsr

samira disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Amei este texto. Vc deturpou as teorias da linguística textual, mas garantiu o bom humor. :)
Ótimo blog! É a primeira vez q visito e pretendo voltar outras vezes.

neojoy disse...

Hheahuhae. Adorei. Nunca me aconteceu mas é uma verdade. Já me contaram de uma senhora que certa vez disse numa reunião dentro de uma igreja "E como diz aquele versículo bíblico: Quem com ferro fere..." lembrando que tal versículo não existe. ^^

Uma reunião de ignorância e estupidez no geral. Não dá pra rotular todo mundo, mas creio que entre essas duas coisas está a resposta.

Falows meu caro.