domingo, 10 de agosto de 2014

Eu não odeio segundas-feiras...


O Garfield odeia segunda-feira, eu não. Aliás, acho que todo mundo odeia segunda-feira.
Vítima de injustiças sociais e culturais, a segunda-feira é considerada o primeiro dos dias.... e o pior deles. Espera aí.. primeiro é domingo, mas só porque você fica à toa vendo Faustão, você considera que a grande vilã da semana é a segunda. Isso acontece porque você  esquece que segunda tem trabalho, mas não tem Faustão e isso já era o suficiente para louvarmos este dia da semana.
Na segunda, começamos um regime e ficamos mais magros, começamos a economizar dinheiro e ficamos mais ricos (ou menos endividados), começamos uma promessa e ficamos mais mentirosos, seremos outra pessoa (igualzinha a essa que você vê, mas bem melhor)... Voltaremos para a academia. Claro. Você já viu alguém tomar uma decisão importante em sua vida numa quinta-feira? Quinta-feira é o dia mais sem graça da semana.
Segunda e terça têm gosto de “foi dada a largada”, quarta é o dia da falta de expectativas...(uma espécie de limbo no calendário) meio de semana. Você não está no início nem no final... é o meio mesmo (tanto que os alemães a chamam de Mittwoch – meio da semana), a sexta é a reta final, sábado é dia do bagaço... Estou um bagaço. Domingo é o falso apogeu do ócio. Mas e a quinta-feira....Essa não.. Ô dia sem graça!

Oi, fulana, quinta-feira começo uma nova dieta!” Diz a mocinha ao encontrar a colega na rua.

Não dá para acreditar em quem começa dietas na quinta-feira. Dia de dieta é segunda. Que credibilidade tem alguém que começa a malhar na quinta-feira? Vai parar logo. Nem que seja para o fim de semana. Sexta então, nem se fala.. Na sexta, ninguém começa nada. No máximo, terminam-se as coisas que se começaram na segunda, arrastando-se para o sábado como quem cambaleia em direção a um precipício. Se a segunda for um primeiro dia de mês e um primeiro dia de ano.. Nossa! Você não imagina a mística que isso tem.
O grande vilão, para mim, definitivamente, é domingo.
Começa com aquela sensação ilusória de ócio eterno. Enche a manhã com programas que tornam a cama muito mais interessante. Almoçamos tarde enquanto passa o Esquenta ou aqueles detestáveis programas do SBT com joguinhos e ninguém presta atenção, constatamos que o filme da TV é o inédito (neste mês) Independence Day, esperamos pelo futebolzinho redentor. Vem o infame Faustão, o insosso Fantástico e a terrível musiquinha dos filmes que vem depois do Fantástico. Aquilo é um réquiem do telespectador, não porque amanhã seja segunda-feira, mas porque o domingo acabou e mais uma vez foi a coisa mais sem graça do mundo.
O grande vilão é o domingo.

Em tempo:Viva a tv por assinatura... mas ainda assim. Domingo é domingo e ponto final.
Ainda bem que tem uma segunda depois.
Postar um comentário