quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O que aprendi em 20 anos de magistério

Lá se vão 20 anos de magistério e sempre penso que depois dessas duas décadas, muito mais do que ensinei, aprendi. É aí que elenco mentalmente algumas centenas de coisas que me foram ensinadas como professor e aqui listo algumas. Entrei na sala de aula há 20 anos pela primeira vez para ensinar Língua Portuguesa e carrego hoje tudo que aprendi  com, pelos meus cálculos, mais de 5.000 alunos, na verdade, mais de 5 mil professores que me ensinaram quase tudo do que sei com relação minha mais difícil tarefa nessa existência, viver e conviver.

1. Alguns alunos irão amá-lo, outros odiá-lo e outros serão completamente indiferente a sua existência. Todos pela mesma razão, pelo que você é. Não dá para agradar todo mundo, mas tentar ser amigo e justo com eles é uma meta que não se pode descartar nunca;

2. Professor não tem que ser bonzinho. O bonzinho é um babaca com problemas de autoestima que tenta agradar todo mundo. Ele deve ser transparente em seu processo de avaliação, claro na sua maneira de ensinar, justo e parceiro do seu aluno.

3. O aluno é um colega de trabalho. Ele não é seu subordinado nem inferior hierarquicamente a você. Cultive uma relação o mais saudável possível com ele de amizade e gratidão. Ele também está lhe ensinando coisas. 

4. Muitas vezes, o aluno vai tentar enganá-lo em algumas situações. Isso não o faz um mau caráter (alguns até são, mas a vida cuida disso). Isso o faz humano. Mostre para ele sempre quando age errado. Aja de modo que você seja para ele um exemplo. Suas ações serão sempre mais fortes do que suas palavras.

5. Não existe uma boa aula que não traga um sorriso, uma risada ou um olhar de surpresa com o novo.

6. Alunos são espíritos. Cada um com sua história, cada um com seu ritmo, com seu tempo. Respeite isso e tente vê-los como seres em uma rota de crescimento e a quem a vida lhe confiou a nobre missão de fazer parte dessa história. Valorize isso.

7. Avaliar um aluno por uma prova é a coisa mais idiota que se pode fazer. Eu sei que é mais fácil, mas nunca devemos substituir o mais justo pelo que nos é mais confortável. Alunos são figuras de muitos lados e olhar só um lado nunca nos dá uma visão do que um aluno é.

8. Todos temos dias ruins, mas a porta da sala de aula é o cabide em penduramos as coisas que nos machucam no dia a dia. Aja assim, mas não espere que os alunos ajam assim. Eles ainda trilham caminhos em que precisam mais de ser compreendidos do compreender.

9. Boas provas levam o aluno a raciocinar e não a decorar.

10. Deixe que os alunos vejam nos seus olhos o brilho que traz a felicidade que você tem em estar ali. Não existe nada mais sedutor e empolgante do que trabalhar com alguém que transpira amor pelo que faz. Isso contagia.

11. Mesmo agindo assim, buscando ser o melhor e dar o seu  melhor, você ainda enfrentará situações adversas. Não espere que suas atitudes o livrem do pior na convivência humana. Aprenda a lidar com isso e tirar o melhor de cada lição.

É isso. Um resumo do que aprendi com esses 20 anos de magistério. Nesse dia dos professores, eu é que agradeço a meus alunos pelo que me ensinaram.
Postar um comentário