quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Garantias e as meias verdades


Não é verdade dizer que os sistemas de garantia ao consumidor no Brasil não funcionam, mas também não é verdade dizer que os sistemas de garantia ao consumidor no Brasil funcionam como deveriam. Recentemente, precisei trocar a bateria do meu carro na Ford, pois ela apresentava problemas de falha dentro do período de garantia. A concessionária disse que trocava sem problemas, mas precisava retirar a bateria, mandar para fábrica, emitiriam um laudo e mandariam uma nova para meu carro que ficaria parado na oficina de 7  a 14 dias.. por causa de uma bateria. Eu ficaria de férias e justificaria minha falta no serviço com a ordem de serviço da FORD?
Eles cumpriram a garantia, mas criaram condições para que ela se tornasse inviável e que eu fosse obrigado a comprar um bateria que custa uns 130 reais e o cara troca na hora.
Com a Apple, a mesma coisa. Um mac meu deu problema, foi para a autorizada e pediram 15 dias (em média) para identificar o problema, pedir a peça, trocar a peça... e eu ficaria sem computador até lá. Sem poder trabalhar.
A coisa é criada para não desmentir o fabricante quando ele diz que dá garantias, mas para não dar prejuízo para ele também. Ou seja, no final das contas, a coisa existe, mas não funciona do jeito que deveria.
A conversas são sempre as mesmas. Sim. A garantia cobre, mas a fábrica pede prazos e procedimentos que vão tornar completamente inviável o uso dela. 
E agora? Vai dizer que não existe garantia? Vai dizer que é propaganda enganosa... 
Não é não.

Postar um comentário