sábado, 2 de janeiro de 2010

A verdade que ninguém quer admitir


Primeiramente, quero dizer que toda iniciativa no sentido de amenizar o impacto da nossa existência no planeta é válida, mas sinceramente, estamos falando em amenizar. Evitar o impacto de sermos seres que poluem, que respiram, que destroem, que mudam o meio em que vivem, isso é impossível.
Para atingir a meta poluição zero deveríamos deixar de comer e andar nus. Somos seres que soltam pum... mais de cinco bilhões de puns... se cada um soltar 5 por dia, são 25 bilhões de puns. Isso sem contar nas vacas, bois, elefantes, cachorros, gatos.... Isso sem contar em tudo que morre e libera gases de decomposição. O fato é que a poluição está diretamente ligada a nossa existência. Existimos, logo, poluímos.
Podemos reduzir o impacto de nossa existência no meio ambiente, mas evitar isso é utopia. Quer saber a verdade que ninguém quer falar. Temos que educar as gerações futuras para poluir menos e reaproveitar mais, mas o planeta vai aquecer, as águas vão subir, cidades vão inundar e nós vamos , assim como o fizemos nós ultimos 100 mil anos, nos adaptar ao calor, ao nível do mar, às mudanças climáticas. Sabe por quê? Porque somos a espécie mais adaptável do mundo e se um dia tudo acabar sobraremos nós e as baratas.
Isso se as baratas não nos ameaçarem.
Se isso acontecer, acabaremos com as baratas e só sobraremos nós.


Postar um comentário