quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Álbum de fotos e outras formas de torturas...

As pessoas não têm a dimensão de o quanto é chato ver álbum de fotos. Convide seus amigos para uma recepção com fondue de chocolate, morangos e um bom filme, e os inimigos, convide para mostrar álbum de fotos.
O cara abre o álbum cujo tema é férias em Porto Seguro. Bom, para início de conversa, quem viu um álbum de fotos de alguém que foi a Porto seguro já viu todos os álbuns do gênero e o mais terrível é que cada foto vem acompanhada de uma narrativa de como é o lugar, quanto custam as coisas, como a pessoa fez para chegar lá e a programação local. Aí você espera a pessoa distrair e passa duas folhas do álbum de uma vez... e o infame diz:

Você viu a foto dos índios?



E volta as duas páginas que você sorrateiramente passou rapidinho. Quando são vários álbuns, aí é melhor, porque a pessoa pergunta: você já viu este? E você responde: ah... esse já... Vai trocando os álbuns e sempre dizendo que aquele que lhe oferece você já viu. Mas quando é um álbum só... huummm.. Não tem saída.
E os álbuns de festa de aniversário de criança? Meu Deus do céu... entenda que festa de aniversário de criança é como peido: só o dono que aguenta! A dona abre o álbum e fica apontando os presentes:

Aqui a tia tatá, a prima do Zé Carlos, aqui é o filho do Paulinho...

E, na maioria das vezes, nem fazemos idéia de quem são os personagens... Mas enfim, somos penitenciados até o fim do álbum com detalhes sobre os enfeites e com a tradicional foto da criança soprando a vela com direito a narrativa:

Essa aqui é na hora do parabéns! (Como se você não soubesse pela foto)

Você só não se desespera totalmente porque estava longe na hora do "é big, é big, é big" e "com quem será, com quem será..." E isso não aparece na foto... Quando é filmagem... já era.. você está perdido. Não tem como fugir.


Mas pior de tudo são os álbuns de fotos que sempre lhe apresentam na casa da namorada à primeira vez que você vai lá. Isso parece até uma tradição: primeira vez na casa da namorada=álbum de fotos dela quando criança. 


Até hoje, não entendo a necessidade de mostrar fotos de sua namorada vestida de odalisca no carnaval, usando o uniforme de maternal, soprando velinhas de 5 anos, desfilando na escola, fazendo cover das paquitas, andando de bicicleta, peladinha na banheira aos 10 meses de idade (quero ver é agora)...

No fundo, acho que é um subterfúgio dos pais da moça para inspirar uma certa piedade em você e fazê-lo desistir de todas as sacanagens que têm passado pela sua cabeça em relação à filha deles.

Mas alguém deveria avisar que isso não funciona.
Postar um comentário