quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Formaturas e outras chaturas


Para início de conversa, formatura é igual a gases, só o dono é que não acha tão ruim. No mais, aos outros, "fede" para caramba. O fato é que final e início de ano é época dessas festas que acabamos indo por pura consideração ao amigo, à família do amigo, ao fulano ou ao beltrano, ao parente gente boa. Mas o fato é que uma obrigação social que se vai para não ficar mal na fita. Agora, como se nada fosse tão ruim que não possa piorar, faço uma série de sugestões aos formandos e às comissões de formatura para tornar pior o que já é ruim.

1. Faça discursos longo e citando peculiaridade de um por um da turma. Não se preocupe, as pessoas adoram ficar duas horas ouvindo coisas como: "e a Fernanda, hein. Sempre apressada e tão organizada..." lido com aquela vozinha de criança lesada.

2. Estique faixas bem grandes com dizeres pessoais na frente dos outros, afinal, ninguém se importa de ver o que está no palco. A parte de trás da sua faixa já basta. Pessoas adoram ler coisas ao contrário em faixas de pano.

3. Leve cornetas e/ou sprays de corneta. Mostre que o quanto você pode ser desagradável. Se não der, enfie os dedos na boca e assovie muito. Se não souber assoviar grite "uhuhuhuhu" a cada 2 minutos.

4. Sugira músicas como "we are the champions", Queen. Seja original... no Sul do Tibet, isso seria o máximo de originalidade. Carruagens de fogo também é super original... em algum lugar no mundo.

5. A cada um que recebe o diploma, peça para ser entregue pela avozinha dele que está sentada no meio da platéia e que demora uns 20 minutos para subir entregar e voltar. Não deixe passar para o próximo sem terminar cada entrega.

O resto fica por conta da sua criatividade.
E nunca se esqueça: Achou que está ruim? Saiba sempre que nada é tão ruim que não possa piorar.

Postar um comentário