domingo, 16 de dezembro de 2012

Brasil, um dos piores sistemas de educação do mundo


O Brasil, no critério educação, está em penúltimo lugar em um ranking de 40 países. Atrás de nós só a Indonésia... Foi o que mostrou uma pesquisa encomendada à consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), pela Pearson, empresa que fabrica sistemas de aprendizado e vende seus produtos a vários países.
Toda vez que alguma agência internacional aponta nosso fracasso em algumas áreas como educação e saúde, logo alguns pesquisadores brasileiros se oriçam e saem em defesa do indefensável. Perguntam como foi feita a pesquisa, quais as fontes, quais as bases, isso não tem validade.. enfim... Há uma preocupação maior em atacar quem fez a pesquisa do que mostrar que eles estão equivocados. Até porque não estão...
Contra fatos não há argumentos.
As perguntas diante dessas situações não devem ser feitas contra as empresas que fazem as pesquisas, mas sim ao nosso governo. Por que nosso professor é tão mal remunerado? Por que não existe uma regularidade de capacitação docente? Por que as escolas têm uma estrutura tão precária? Por que os alunos passam um tempo tão pequeno na escola? Por que escola não oferece atividades que favoreçam a formaçao humana e profissional? Por que os governos que começam se preocupam mais em destruir o que foi feito do que dar continuidade ao que deu certo? Enfim.. por que?
Somos, por fim, um fracasso educacional que os indíces do governo não conseguem camuflar? Esses sim, obscuros, discutíveis e carentes de base que os comprovem face a realidade do nosso ensino. Atingimos essa situação, inclusive, porque nos preocupamos muito mais em encontrar culpados do que solucionar problemas.

Mas ainda nos resta dizer "Chupa, Indonésia" em tom irônico e, no fundo, lastimoso.

2 comentários:

Egidio disse...

Essas pesquisas normalmente são intencionadas, francamente digo que o Brasil não é nenhum exemplo de sistema educacional, mas paz-me de que adianta se queixar e não fazer nada, cabe a cada um aproveitar o que temos a disposição e fazer sua prórpia história, estudar na internet, ler livros, conversar com especialista, isso sim é educação prática e eficaz e não o que essa agências dizem que deveria ser.

Samuel Alencar disse...

Educador da Rede pública Estadual do Amazonas,digo-lhes que envergonho-me de tal colocação.Expus tal ranking em sala de aula conscientizando alguns educandos que ali estavam, concernente a esta posição incômoda em detrimento da necessidade de melhores estruturas das escolas, profissionais capacitados e compromissados de fato com a educação de qualidade.Além, é óbvio, de um maior interesse da classe estudantil,sendo o professor/educador intermediário atuante desta transformação.Sabemos que há mais a ser implantado e implementado para o êxito do processo ensino e aprendizagem.Temos capacidade de mudar esse quadro, só nos resta dedicação sem obstaculizar.