domingo, 15 de março de 2009

Os culpados são sempre os outros

[na faculdade, na escola... e em outros lugares]

Se atrasei a entrega, é porque não me disseram o que fazer.
E se eu atrasei é porque tive uns problemas, sabe como é?
Se não ficou bom, foi porque não entenderam a minha proposta.
Ou não me explicaram direito, não me orientaram da maneira correta.
Eu fiz de tudo.
Se faltei aos encontros do grupo, é porque tive um compromisso, não pude desmarcar a tempo,
mas fiz o que foi pedido.
Se não deu para entregar, putz, aconteceu um problemaço.
Se eu me enrolei com os prazos, é porque eu tenho outros trabalhos a fazer.
Se alegam que eu tinha um ano para fazer, digo que um ano passa voando e quando vi... já foi.
Não foi cópia da internet o meu trabalho, foi aproveitamento de conteúdo pré-produzido.
Eu não queria copiar, só queria que o professor visse se aquele material era bom para o meu trabalho. Só tirei o nome do autor por distração minha.
E se tem uma coisa que agradeço todos os dias, é que para tudo há sempre culpados e um desses culpados, felizmente, nunca sou eu, são sempre os outros.

Ah “os outros”, parem de atrapalhar minha vida!

8 comentários:

joao Assis disse...

Marcelo,
Esse é o grande mal da vida moderna,uma apologia á hipocrisia,e por incrivel que pareça,todos somos acometidos por ele,precisamos combatê-lo,mas ele já está tão enraizado em nosso meio,oque fazer??
Um forte abraço,amigo.

Wander Veroni disse...

Oi, Marcelo!

Já li algumas coisas de psicologia, como leigo, e isso é um problema que chega ser quase doentio. A culpá não é minha, é dos outros. O seu texto é brilhante nisso. Nós somos culpados por tudo que cativamos. Não se trata de filosofia de boteco, é realidade. Se alguma coisa deu certo ou deu errado, foi somente por si.

Claro, não se trata de querer assumir a culpa universal. Mas admitir que também se erra é um passo de amadurecimento e honestidade. Estava sentido falta de vir aqui no seu blog, viu!

Abraço

Magna Santos disse...

Pois é, se eu não tiver lido direito, a culpa é do oculista que não revisou o meu óculos.
Se faltar algum acento, a culpa é do meu teclado que digita o que quer, ou melhor, do tecnico que não conseguiu consertá-lo.
E, por fim, se eu não mais aparecer, a culpa...bem, ainda não sei, mas, certamente, tem um. Se não tiver, eu reapareço.
Abraço, Marcelo.
Gostei do humor e da agilidade do texto.
Magna

All3X disse...

Assumir a própria culpa é algo dfícil de se aceitar entre nós. Uma hora, no entanto, não temos como tirar esse encrgo das nossas costas.
Assumir responsabilidades e as cumprir é tarefa nobre. Prezo por quem assim age.
Valeu Marcelo,
All3X

... disse...

Admitamos: ter alguém a quem culpar é tão bom!

Laila disse...

A foto é muito adequada!
É, o que há de mais raro é a modéstia (e a coragem) de assunir uma culpa sozinho.
O quanto isto disfarça a falta de competência de alguns não está no gibi!

Henrique Hemidio disse...

"O inferno são os outros"

Jean-Paul Charles

Flávia Damato disse...

Seu texto me fez lembrar minha irmã mais velha (e, junto, outras "trocentas" pessoas). Há poucos dias, minha sobrinha, desatenta por andar olhando para trás, bateu na porta e abriu o berreiro (chora como ninguém, mas é liiiiiiiiiindaaaaa). E o que minha querida irmã fez? Virou-se para A PORTA e disse: "Porta feia! Não machuca o meu bebê!" (emotion assustado com tamanha imbecilidade)

P.S.: A "escola", às vezes, começa em casa!

Bjs!!!