sábado, 6 de setembro de 2008

Quando somos adolescentes achamos...

Quando somos jovens, trazemos conosco a certeza de que aquela menina linda e supersensual da escola não sai com a gente só porque não temos carro, não temos dinheiro, não temos condição de levá-la a um local que preste para comer algo e bater papo. A maturidade é sábia e nos traz a percepção de que tudo aquilo que acreditávamos, no fundo, era verdade. A maturidade nos faz perceber que se fôssemos mulher e nos olhássemos naquelas circunstâncias não teríamos razão nenhuma para sair com a gente. E não venha com o papo de riqueza interior. Imagina:

-
A conta é de 65 reais. Apresenta o garçom.
-
Olha seu garçom, dinheiro eu não tenho, mas sou uma pessoa excelente, de caráter, honesta, sincera... espero que o senhor leve isso em conta. Ou melhor.. leve à conta isso.

E a história termina com seu pai o pegando na delegacia. O silêncio no carro de volta para casa vai traduzindo a vontade que seu pai tem de estrangulá-lo por causa da vergonha que o fez passar.
O caso é que achamos que, quando formos adultos tudo vai melhorar, mas não sabemos que , quando chegarmos a idade adulta, passaremos achando que tempo de curtição era a adolescência.
Aos 16, achamos que ninguém nos entende e que o mundo não é justo. Quando adultos, temos certeza disso. O mais legal é que, aos 16, não se imagina como essa certeza é confortante.
Quando somos
teens, os pais pagam nossas contas e achamos que não fazem mais do que sua obrigação, quando adultos, pagamos nossas contas e os credores têm a certeza de que não fazemos mais do que nossa obrigação. Porque, de fato, não o fazemos mesmo.
Aos 18, temos a certeza de que vamos mudar o mundo nem que seja a porrada. Aos 37, descobrimos que o mundo nos deu tanta porrada que nós mudamos.
Passamos a vida substituindo dúvidas por certezas e estas por outras dúvidas... a graça da coisa está aí.
Pelo menos, é o que acho até agora... Deixo aberto para minhas futuras mudanças de opinião. Esta crônica é uma obra em aberto... Amanhã, acho outras coisas e assumo novas certezas.
Até amanhã.

50 comentários:

André Kaworu disse...

olá, concordo quando se é mais jovem tudo que se quer é ser adulto (eu sou um dos milhares de exemplos disso) agora com 22 trabalhando e fazendo facul sinto falta dos meus 16 em q só estudavae jogava video-game rs. abraços e boa semana

Blog da Paulinha disse...

Adorei o blog, adicionei nos meus favoritos.
Sobre o post, outro dia ouvi uma coisa de uma migo bem iteressante. Qdo somos jovens reagimos exatamente como somos, qdo crescemos reagimos de acordo com o o que aprendemos com os outros, as outras formas de reagir. Q saudade da minha adolescencia, toda vez que passo na frente de um colégio que deveria ter aproveitado mais...

Bruno Melo disse...

"A maturidade é sábia e nos traz a percepção de que tudo aquilo que acreditávamos, no fundo, era verdade"

Certíssimo!

Eu tenho 22 anos e não sinto falta da época que eu tinha 16... mas tenho muito o que amadurecer, acredito que sentirei falta ainda.

Alexandre disse...

Hj eu tenho certeza que a melhor fase da vida é a adolescência... apesar de todas as merdas que a gente faz. A minha foi uma droga, e sinto em não ter feito muita coisa que hj eu já ñ posso mais. Trabalho com adolescentes, de 12 a 16 anos hj em dia e vejo como é boa essa "irresponsabilidade"...falo isso pros meus alunos de vez em qdo. Época sem grandes preocupações, onde os problemas são fáceis de lidar...
Dá saudade de ter 13 anos de novo, rsrsrs
Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com/

Luly disse...

Concordo. Mas tem gente que cresce e continua sem maturidade nenhuma; nem apanhando da vida não mudam. Ô, tristeza!

Gostei daqui... rsrs

sucesso!

http://rosas-inglesas.blogspot.com

Mentalmorfose disse...

Aos 16, achamos que ninguém nos entende e que o mundo não é justo

Eu tenho 16 anos... hehe... e axo q isso eh a mais piura verdade!

poo... adorei o texto!!!
mto bom!!!!
e amei o blog ^^ parabéns!


Bjs,
Ana

Flá Absolut disse...

Pois é... quando somos jovens achamos que tudo fica bem mais fácil. ai crescemos e percebemos que as coisas ( na maioria das vezes ) não passam de sonhos......

gostei do post

Natália Coelho disse...

Eu nem me tornei adulta e já percebo algumas mudanças em minha vida,devido a algumas porradas e um pouco de maturidade que ganhei.
E ainda tenho muitas,mas muitas dúvidas a serem trocadas por certezas e por outras dúvidas.
É a vida né?
abraços

Lidi disse...

Olá! Achei interessante meu comportamento enquanto lia seu post. Vou me colocando nas situações (claro que não como o garoto convidando a menina perfeita do colégio) mas, enfim, vou percebendo que a coisa funciona mais ou menos da mesma forma pra todo mundo. É a tal Evolução. São perguntas, respostas, novas perguntas e o ciclo nunca acaba...
Parabéns por perceber. Muitos passam a vida sem se dar conta disso e de muitas outras coisas que fazem a diferença.

Vou linkar vc no meu blog, pq preciso ler mais textos como os seus: inteligentes.
Um abraço!

dudalak disse...

muito interessante esse texto que você escreveu, muito interessante mesmo
eu tenho quinze anos e cara, eu vejo as coisas na TV e me dá vontade de ser política pra poder resolver tudo, quer dizer, eu sei que tudo eu não posso resolver, mas boa parte das coisas eu sei que sim e além do mais, com um gesto você pode mudar o mundo, tem uma música de um grupo (que se desfez ano passado) Jump5 a música é Change one heart change the world, ou seja quando vc muda um coração vc muda o mundo, com apenas uma atitude de gentileza, a outra pessoa passa a gentileza adiante e adiante e adiante...
muito legal mesmo
beeeijos

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Realmente, eu qdo tinha meu 16 anos, achava que iria mudar o mundo com minha idéias revolucionárias. Antigamente eu era socialista, hoje sou politíco.


abraços!!!


http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

dudalak disse...

rsrsrsrs, obrigada mas não precisa mais não, eu já comprei o ingresso rsrsrs
cara, geral me zoa por causa do McFly tbm por começar com MC
Minha amiga pediu pro pai dela pra levá-la ao show do McFly, ele falou que só a leva no McDonald's --' rs
realmente, mas o do McDonald é McFleu (McFlu) sei láá como se escreve rsrsrs

Tatiana C. Mendes disse...

"Só sei que nada sei"... E é justamente essa a graça. Se soubéssemos tudo, seria chato, monótmo. E com certeza, vamos mudando mesmo, evoluindo... Mas cada vez que tal evolução ocorre, novas coisas surgem, novos desafios, pra quê? Para que possamos evoluir cada vez mais...

Interessante seu blog. Gostei do texto... Abre "portas" para um bela reflexão filosófica.

Abraços,
Tatiana C. Mendes

http://tanaboca-dopovo.blogspot.com

Minero disse...

puts cara...é bm por ai msm

e eu ainda acredtio q posso mudar o mundo, e isso é uma coisa q eu pretendo levar ate o dia da minha morte

o mundo precisa d pessoas q pensem assim....

VIVA OS ADOLESCENTES...sopakspokapsokaposkaposk


abraço

Yuri disse...

Os adolecentes mandam!!!
vlw hein..;
belo texto...

Gregory Vancher disse...

Gostei muito da crônica. O toque de humor e realidade combinados ficou muito bom!
Ainda estou no período de transição e, por isso entendo um pouco dos dois lados. Mesmo que ainda queira mudar o mundo, percebi que é muito mais fácil o mundo me mudar então, só tento permanecer quem eu sou, com alguns "updates"...

p.s.: muito obrigado por comentar no meu blog

Conquistadores (Didixy) disse...

Exatamente como disseram acima. Se soubéssemos tudo, a vida não teria graça. A arte de viver está no aprendizado. Esse é esquema do jogo da vida.

DuDu Magalhães disse...

Estou nos 18, e quero sim mudar o mundo, mas aprendi, que devo mudar-me antes, então... pode ser que minha realidade seja diferente... Abrass!

Cintia Pereira disse...

A maturidade nos faz adquirir algumas certezas e perdermos algumas ilusões. A vida é assim, quando jovens achamos que tudo será mais fácil quando nos tornarmos adultos, logo que somos adultos percebemos que as coisas nunca mais serão como antes e passamos o resto de nossas vidas saudosos dos tempos de juventude.

P.S.: Gostei muito da enquete, há muitos blogueiros que deveriam ler e refletir sobre ela.

Tatiana C. Mendes disse...

Cá estou eu novamente em seu blog... Imagino que não seja ao acaso. Com certeza a reflexão filosófica que fiz antes, não ficou bem feita, ou talvez... ainda esteja incompleta. Ou mjais... Eu devo estar precisando ler suas palavras novamente. Algumas pessoas ultimamente tem me dito que preciso mudar nisso, aquilo... E eu fico torcendo "pra idade chegar", sabe como é? E ela está chegando... Mas percebo exatamente o que você disse... Com ela mudo em alguns aspectos, mas outros se apresentam... E assim vou seguindo, tal qual uma metamorfose ambulante!

Abraços!!

Anônimo disse...

Nunca achei que ninguém me entendia, e não passei por essas "fases" da adolescência.(acho isso uma falta de serviço...)
Mudar o mundo nunca foi uma prioridade.

A Tríade disse...

Olá. Já tive o prazer de ler esse blog outra vez, e mais uma vez, gostei do que li. Essa crônica foi muito bem feita. Parabéns!

Linha de Fundo disse...

Opa curti o seu blog e suas materias
pode ter certeza que passarei por aqui sempre.
abraços

... disse...

os seus textos são tao bons que eu fico até sem saber o que comentar... voce ja disse tudo!! rss

An@Lu disse...

crescer é difícil. é ir perdendo aos poucos a magia em prol da realidade.

Stanley Marques disse...

Sempre bom estar no Saco de filó. Brilhantes postagens. Concorco contigo no sentido da vida. Estamos em constante mudança. Somos além de sociais, mutáveis. Hoje estou na fase de que acredito fielmente que eu deva mudar o mundo. Quem sabe eu consiga! Quem sabe eu desista.

www.antologiaracional.com

Vendedor de sonhos. disse...

NOSSA cara perfeito.
Somos usados pelo mundo até a morte.
Por isso ninguem tem a certeza absoluta do que é a vida.
Vivemos em uma sociedade, que gira em torno de dinheiro.

Caio Rudá disse...

Nos meus 17, 18 anos achava que tinha chegado ao topo da maturidade e que dali para frente só mudaria fisicamente mesmo.

Por sorte, descobri que estava engando. Hoje, beirando os 20, não só acho que tenho tanto a aprender como sei que fui estúpido ao cubo uns anos atrás.

Além da crônica, somos nós uma obra em aberto. Só não assumo certeza porque mesmo elas são questionáveis e já passei da fase da ilusão.

Marcus "OROCHI" disse...

Eh... a triste e dura verdade... rs
Cada vez mais sinto falta da minha adolescência, e tb vivo dizendo aos meus alunos pra aproveitarem o tempo deles... se bem q isso nem precisava dizer, eles já aproveitam até demais mesmo quando a gente ñ diz nada... rs

Uma coisa boa daquela época é que de vez em quando a gente decidia q ia matar aula e matava, sem problemas. Hoje em dia, queria poder decidir matar um dia de trabalho de vez em quando e ñ ter problemas tb... rs

http://chamandocoringa.blogspot.com/

Fefa disse...

È a grande certeza do que é verdade. O texto muito bem elaborado e escrito, ao autor meus humildes agradecimentos pela oportunidade de ler algo tão radiante de deleitar a imaginação dos leitores que tornam assim uma obra em aberto, uma crônica que a cada dia é escrito um pedacinho a mais, nesse tempo que chamamos de vida...

Jonatas Fróes disse...

Estou na fase de tomar porradas para ser mudado hehehehe... Eu com meus 20 aninhos ainda tenho muito a aprender, e amadurecendo só percebo que a vida é mais difícil do que parece...

[]'s

Musikaholic

All3X disse...

Realmente esse foi o melhor texto já publicado pelo Saco de Filó.
Muito bom como trata o tema, afinal, um pouco de descontração em uma tema tão complexo como a perenidade do tempo e nossa posição perante ele é de trazer nostalgia a qualqueu um.
Muito bom.
All3X

Flávia Damato disse...

Ah, meus 15, 16 anos... Ainda bem q não voltam +... rsrs

Foi uma época boa, mas nada se compara a maturidade dos meus 3.5.

Uma época em q achamos q, entrando na maior idade, passamos a nos achar donos do próprio nariz, e adquirimos o tal "Complexo d Tássia"; ao chegarmos lá descobrimos ser tudo ilusão, q nada muda até q tenhamos nossa independência financeira.

C/ o passar do tempo, e qdo nos permitimos amadurecer, a tendência é sermos cada vez + seletivos e menos afoitos. Perdemos a pressa, pq sabemos q d nada adianta correr se não se sabe p/ onde. Nosso castelo passa a ser erguido c/ pedras, não c/ areia molhada.

Problemas sempre existirão, e a experiência ajuda mto na hora d escolher as "armas", ou na hora d, simplesmente, não "lutar".

É... posso afirmar q estou beeeeeeeeeeeeem melhor agora! Como estou!!! rs

E viva meus 3.5! Vivaaaaaaaaa!!! rsrs

jαnα ¦D disse...

hAUhauHAUHuahuAHUha
Nossa, ri muito lendo o seu post...mas o triste do negócio é que tudo é verdade o/ Adolescente é feliz e nem percebe :B

Abraços.
='-'=


http://nerdezasaleatorias.blogspot.com/

Anônimo disse...

Adora quando eu era jovem, pena que só pensava em ser adulto, agora que sou quero voltar a ser joven =D.

Conheça meu blog
http://dtescom.blogspot.com/

Chris disse...

Você disse tudo!
Engraçado como tenho pensado sobre isso ultimamente. Quando era adolescente, não via a hora de crescer e ser independente. Agora que estou crescida, quero meus 16 anos de volta. Quero de novo aquela sensação de tudo é "muito" ( somos muito rebeldes, o primeiro beijo é o máximo, o primeiro amor é intenso, a primeira decepção, que parece que a gente nunca vai superar, etc, etc, etc...), quero que minha preocupações sejam apenas se a festa da fulana vai ser boa, se o fulano vai reparar no meu novo penteado. Enfim, hoje vejo os adolescentes com que eu trabalho e fico me lembrando dos "meus tempos"... que saudades!

Senhor pseudo-anônimo, vulgo pseudônimo.. disse...

nossa, texto muito bem escrito.
Blog nos favoritos.

abraço!

visite se puder: http://www.titulosupimpa.blogspot.com/

Brunín...® disse...

Mal sai dos meus 18 e já percebo algumas coisas diferentes

Nem consigo imaginar o que virá depois... preciso levar algumas pancadas sérias para aprender direito!

Senhor pseudo-anônimo, vulgo pseudônimo.. disse...

aliás, é assim sempre até o fim dos dias, acho. Para os pessimistas, ou como queiram chamar. Desejam com força que o ano seguinte seja sempre melhor ao anterior. Que nunca será, pois é um desejo subjetivo.
abraço

Mr. HaG disse...

Olha, essa de gostar das mais bonitas e ricas é papo furado pra mim! Você acaba perdento tempo cultuando essas pessoas que acabam te pagando com disprezo e disperdiça ótimas outras pessoas.

Pelo menos isso aconteceu comigo aos 16 anos! Acho que a vida não me muda mais!

Espero que não!

Clarissa Justino disse...

Tenho 17, e cada vez mais certeza de que mudar o mundo é tarefa quase impossível...

Edu França disse...

Esse fatalismo da vida é recorrente em mim, teu texto que me lembrou um ditado espanhol que diz: a verdade não é cruel, ela apenas não tem remédio!

É por aí, e o engraçado e que todo esse ralismo mexe com nossa moral e ética, mas aí é outra história que merece muitos textos!

blog disse...

É, Marcelo.
A cada ano a nostalgia da adolescência aumenta. Não há volta, mesmo que tenha uma esposa vinte anos mais nova, um carro possante e curta vídeo-games.
Não, não é o meu caso. Pelo menos um desses itens acima eu não tenho.
Mas a nostalgia, sim.

Michell Niero disse...

Infelizmente, não precisei chegar aos 37 para concluir que de tanta porrada nós mudamos.

Penso que a gente vive num eterno complexo de Galileu. Chegamos à público (trabalho, chefe, namorada, amigos) e dizemos: a terra é quadrada quando na verdade ela é redonda.

Como jornalista, por exemplo, sou obrigado a escrever bem de gente estúpida, proteger a "imagem corporativa" dos meus clientes, tudo para ganhar o pão no fim do mês. Lá no meu íntimo diz alguém: não se preocupe, isso não vai mudar suas convicções, vá em frente, eu sei que você não concorda com isso. A essa voz interior deram o nome de "profissionalismo".

Isso significa que nós trabalhamos para que outras pessoas façam acreditar em algo inverídico, diretamente ligado aos bens de produção, à convicção empresarial, às leis de mercado (...)

Vixi, melhor é parar por aqui. É capaz de eu enfocar o dono dessa "voz interior" no primeiro varal solto que aparecer na minha frente.

Patrycia disse...

Riqueza interior, beleza interior... Pense num papo sem futuro! kkkkkkkkkk. Pura desculpa apenas para tentar não deixar tão baixa a auto-estima... Oh consolo! rsrs

Imperador Agellus Orochi Colossus Regis Mach V disse...

Muitíssimo interessante.

Ainda to na idade de achar que vou mudar o mundo. heheeheh

passa no meu blog depois:

http://alguemvaimeouvir.blogspot.com/

Dalete disse...

Dorei.
O tempo passa muito rápido...e as coisas mundam mais rápido ainda.
Vida cruel...

Euzer Lopes disse...

Engraçado, quando somos jovens, achamos que vamos MUDAR o MUNDO TODO com nossas IDÉIAS.
Quando crescemos, ficamos adultos, percebemos que, na verdade, TODO MUNDO fez a gente MUDAR de IDÉIA.
Acho que a única diferença de mim hoje, com quase 40 anos, e o que eu era aos 20, são os pelinhos brancos em alguns lugares do corpo (felizmente na cabeça eles, se existem, devem estar bem escondidos).
Enfim. Crescemos e ficamos menos briguentos. Não adianta: a vida é mais forte. E ela bate forte: dói!

Anna Paula disse...

esse vai pra LUA....
pena que vc nunca teve vontade de mudar o mundo....
perdeu uma das melhores sensações do mundo mas nunca é tarde!
bjs

Anna Paula disse...

Marcelo,
argumentos válidos, premissas verdadeiras e conclusão brilhante!
Mas quem tem 18 anos tem que experimentar isso mesmo... vejo pelo entusiasmo do meu filho que, com essa mesma idade, tem muitos sonhos e isso me contagia... sonho com ele e torço muito... esse gás que faz a gente ir adiante!
bjs...