quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

O mito de narciso e a formação de opinião

Estou na magistério há mais de 24 anos e sempre ouvi falar em formar alunos críticos, desenvolver o senso crítico, enfim, isso, para mim, é o discurso do avesso, porque pouca coisa incomoda tanto a alguém quanto dar armas para outro para que possa vir a discordar dele. Afinal, como alguém pode discordar de você se suas ideias são tão boas?
São mais de duas décadas em que vejo que a ideia de formarmos pessoas que pensem com o nosso senso crítico, o senso do professor que traz o seu histórico, suas vivências e que acredita ser o melhor que há. Desculpem, mas não... não é.
Uma educação formadora de senso crítico seria aquela que apresentasse o ponto de vista de A, B e C (e se tiver mais letras, que sejam apresentadas) ensinando a pensar e deixemos que os alunos cheguem as suas conclusões. Se estiverem errados, terão a oportunidade de um dia mudar de opinião assim como nós o tivemos. 
Uma educação em que o sujeito se isentasse o máximo possível (sei que é difícil, mas em nome de uma ética deveria ser uma tentativa válida) e tentasse não emitir juízo de valor rotulando direta ou indiretamente de "isso é bom", "aquilo é mau", quem concorda comigo é do bem, quem discorda é do mal. Isso não é formar senso crítico é manipular pensamento com fins doutrinários.
Nessas mais de duas décadas, tenho tentado ao máximo não emitir julgamentos sobre ideias, mas mostrar que existem outras maneiras de se ver as coisas (mesmo as coisas das quais discordo). Isso já gerou grandes confusões, pois colegas de direita, já me criticaram por pensamento de esquerda e colegas de esquerda, me criticaram por pensamentos de direita. Enquanto, na verdade, era o exercício de dizer: "olha, acho que isso que o que colega fala faz sentido e pode ser aproveitado, assim como o que é dito pelo colega que discorda dele não é absurdo e merece ser pensado com calma"
Mas não é assim que as coisas seguem... quem gosta de azul, odeia o amarelo... que diz que o que alguém diz deve ser ponderado, é porque concorda com ele.. Será?
Vivemos tempos de polarização, ou você está 100% comigo ou é meu inimigo.

Assusta-me quando uma pessoa diz que conversou com alguém que é sensato, inteligente, ponderado, lúcido intelectualmente, enfim, logo penso... conversou com alguém que concorda com ele em tudo.

Afinal, Narciso continua achando feio o que não é espelho, não é?

Postar um comentário