segunda-feira, 13 de junho de 2016

Bem aventurados, bêbados e demais passageiros

Parou o ônibus, lotado e só com uns 2 lugares de bobeira.
Você não acha que aquela morena linda que acabou de entrar no ônibus vai sentar do seu lado não, né? Pois é não vai mesmo. Não sentou.
Andou. Parou o ônibus de novo.
Entrou um bebum e uma dona gordinha cheia de bolsa de mercado. Agora sim pode escolher, o seu colega de viagem acabou de chegar. O bêbado não, o bêbado não... você pede com fervor e em silêncio.
Escolhido.
Você foi sorteado com a dona gordinha cheia de pacotes.
Nos próximos quilômetros, você segue na cadeira da janela espremido entre uma bunda espalhada e um monte de pacote de compra. Quem vê de fora, percebe sua imagem pelo vidro com um daqueles Garfields de ventosas que as pessoas colam nos vidros traseiros dos carros.
Os pontos passam e a dona dos pacotes não desce. Pelo jeito ela segue até o ponto final.
O calor é intenso, o ônibus encheu... e o bêbado conseguiu um lugar daqueles altinhos perto do trocador (uma espécie de pódio aos afortunados de um coletivo). E você continua suado e espremido. Uma caixa de sabão em pó, dentro da bolsa da dona, espeta sua perna.
O bêbado está relaxado no melhor lugar do ônibus e no seu sono etílico destila (com trocadilho) um sorriso de ironia. E na sua sabedoria você pensa:
- Filho da puta de pinguço sortudo.
A dona começa a minar um suor que escorre pelo braço e pinga na sua calça...
Agora um garrafa pet de refrigerante espreme suas pernas na parte baixa do ônibus com o cantinho da parede da janelinha.
Bebum desgraçado de sortudo... a lá... tá dormindo agora. No melhor lugar do ônibus...
O problema é comigo... com certeza.
Eu é que deveria ter bebido.
Postar um comentário