segunda-feira, 2 de maio de 2016

Olimpíadas – a civilidade do combate

Jogos surgiram como metáfora da guerra. Na antiguidade, provávamos que éramos superiores ao outro matando, saqueando e violentando suas mulheres. Em determinado ponto, os gregos, que eram os mais cabeças da época, acharam que esse negócio não estava legal e que estava perdendo a graça. Criaram as Olimpíadas.
Nesse momento, paravam as guerras, as disputas sangrentas, dava-se recesso ao poder judiciário, ao legislativo e os homens disputavam quem jogava um dardo mais longe, quem corria mais, quem pulava mais alto, quem aguentava mais tempo correndo, quem lutava fisicamente melhor, quem era mais forte. Afinal, essas eram habilidades imprescindíveis para os guerreiros.
No fundo, era uma maneira de dizer: "Ó, faz graça com a gente não que neguim aqui corre para caramba, é bom de mira, briga bem e ainda acerta um pedrulho longe para caramba..." Uma sutil intimidação.Mas faltava sangue nisso tudo e a população, superado o período de novidade, enjoou dos jogos e voltou a guerrear.Foi aí que, mais de 15 séculos depois, o Barão de Coubertain, observou que a Europa era o lugar ideal para trazer a idéia dos gregos à tona. Resolveu ressuscitar a tradição na era moderna e relançou as Olimpíadas, mas dessa vez com patrocínio e cobertura de imprensa.O ser humano trouxe de volta a disputa saudável e ainda inseriu outras modalidades como a marcha atlética, aqueles cara que caminham rapidinho com as pernas juntinhas meio que rebolando... Não consigo imaginar em que isso torna um exército mais forte ou respeitado. Mas tudo bem... é invenção moderna.Se bem que imagino que a marcha atlética era uma maneira estratégica de matar os inimigos de rir. Os soldados vinham naquele passinho de perna presa e, quando chegavam ao local, paravam, colocavam a mão na cintura e diziam:- Aí gente, tô acabada, biba!Os inimigos não entendiam nada e eram atingidos por petecas (badmington)... Outra modalidade que me deixa intrigado que graça tem e que sentido faz. Mas enfim,...O espírito Olímpico é isso, fazemos uso de nossa civilidade ao comprovar, sem usar sangue, que somos mais fortes, mais ágeis, mais resistentes... e até mais fresquinhos, leves e faceiros, por que não?Quem foi que disse que isso é defeito?
Em tempo:
Acho marcha atlética um negócio muito esquisito... Parece que um cara chegou e gritou: Gente, se joga! liquidação de necessaire e pochette cor de rosa...! Corre!
Postar um comentário