sábado, 13 de fevereiro de 2016

Historietas banais - a bolsa das ideias

Entra um homem em uma fila pequena. Aguarda e chega sua vez. Um atendente anotando em um papel lhe pergunta:

- Em que posso ajudar?

[homem cheio de boas ideias]
- Tenho grandes e boas ideias para buscar o bem comum ? Sei os caminhos as fórmulas para um tudo melhor.

Atendente
- E o que você já fez pelo bem comum?

[homem cheio de boas ideias]
- Ainda nada, ou só o pouco que esteve ao meu alcance, mas pretendo fazer se me derem essa oportunidade. Responde levemente envergonhado, mas firme.

Atendente
- Então sua fila é a outra do lado. Respondeu o anotador com ares de enfado.

[homem cheio de boas ideias]
- Mas ela está imensa!

Atendente
- Sim. A fila das "boas ideias" é sempre infinitamente maior do que a fila das ações. E conclui: - Trazer só ideias é como trazer belas bolsas vazias. As pessoas sempre argumentam "olha que bela bolsa! Como são inúmeras as coisas que posso guardar nela. Olha como tudo ficaria mais bonito dentro de uma bolsa tão linda!"

- Aí perguntamos: e o que você guardou nela?
- Nada. Mas quando me derem a oportunidade vou guardar e tudo vai ficar muito melhor. Respondem elas.
- Mas por que você acha isso? Insistimos.
- Por que a bolsa é linda, não acha? E é a minha bolsa. 

Atendente conclui
- Por isso, quando vemos alguém chegando ao longe com uma bolsa bonita, vistosa, já imaginamos que estão cheias de boas ideias, mas nenhuma ação. Normalmente, as ações vêm naquelas bolsas de mercado, daquelas ainda antigas ainda, em papel, sabe? Quando vemos uma dessas corremos a nos apressar e perguntar, o que você traz aí dentro?

Dificilmente nos decepcionamos. 
Assim são os homens, assim são as ideologias, assim são as bolsas...

***

Faça que suas ações precedam e sobrepujem qualquer palavra sua e que seu cartão de visitas jamais seja o que você diz, mas a história do que você fez.
Postar um comentário