domingo, 15 de fevereiro de 2015

Carnaval, tempo de fugir da folia e procurar novas séries de TV

Seria pouco dizer que eu acho carnaval detestável. Acho um pouco pior que isso. Se não fosse o feriado, eu seria um defensor de acabar com essa porcaria toda e começar o ano no dia primeiro de janeiro mesmo. Mas como tem um feriado, eu, bipolarmente falando, até simpatizo com o negócio (mas mantenho-me longe da TV aberta para não perceber que estamos no carnaval). 
O fato é que sempre aproveito a época e saio a procura de novas séries (faço pequenas maratonas) para acompanhar no período e ver se tem algo criativo na TV para seguir durante o ano. Nisso, achei várias séries. Uso o final da noite para assistir às novidades. Cansei da mesmice e da fórmula batida de Lost e Walking Dead que não me conquistaram. As séries de vampirinhos não me convencem. Teen demais para minha cabeça.
Entretanto, outro dia, achei uma série interessante entre as dezenas delas na TV por assinatura, internet etc. Chama-se GRIMM (2011). Eles já estão na 4ª temporada... A sinopse era escrota, mas arrisquei.
Na verdade, é uma alusão direta aos irmãos Grimm, dois escritores germânicos do sec. XVIII que ganharam notoriedade fazendo o registro de várias fábulas que vinham desde a idade média. Mas a história da série é a de que os personagens como lobo mau etc na verdade eram criaturas reais e que sobrevivem até hoje em clãs séculos após séculos (mas disfarçados de humanos). De um lado, eles, as criaturas, de outro lado os descendentes deles, os Grimms, no caso, representado por um policial que se descobre capaz de ver os seres de uma hora para outra. Aí, tudo se desenrola a partir desse conflito.. uma reedição de Van Helsing com vampiros com toques policiais. Legalzinho. :-)
A partir daí, as histórias se amarram de forma intertextual que nos leva sempre a buscar onde o personagem do episódio aparece na história original do séc. XVIII. Nada maravilhoso ou com efeitos especiais geniais (são até meio toscos), mas uma história bem contada e que distrai com todo o jogo intertextual. Estou gostando.
A primeira temporada é legal. Vamos ver o resto. 
Fica uma dica legal para quem quer fugir do mais do mesmo de sempre do Carnaval.
Postar um comentário