segunda-feira, 28 de julho de 2014

Que história de outra face é essa?

Uma das coisas lidas de forma mais errada no Cristianismo como filosofia é a história de dar a outra face. Muitos interpretaram isso como uma atitude mansa e conformista de se, ao baterem em você, ofereça o outro lado para bater. 
Vamos lá, primeiro isso é uma metáfora. Alôôô... Metáfora - figura de linguagem que estabelece uma comparação não expressa literalmente. No caso, não se está falando nem de cara, nem de tapa, mas de ação é reação. Reação diversa de ação.
Se há uma ação agressiva, um tom de voz, uma ofensa, uma injúria estamos falando de ação. O êxito dessa ação depende mais da nossa reação do que de outra coisa. Se reagimos "à altura", não levamos desaforo para casa e revidamos, devolvemos merda com merda, estupidez com estupidez, burrice e intolerância com burrice e intolerância. Dar a outra face é oferecer ao ofensor algo diferente do que ele nos deu, quem sabe o silêncio. Devolver na mesma moeda é o que normalmente, quem agride espera para que justifique de sua parte mais agressividade.
Tenho uma experiência interessante com isso. Atuo como coordenador de um projeto de EaD da SEEDUC/CECIERJ há quase dois anos e atendo mais de 500 professores do Estado que trabalham com Educação de Jovens e Adultos. A maioria das deles é gentil e educada, mas há sempre uma minoria que insiste em resolver as coisas nos gritos e na grosseria (mesmo que seja por email). 
Nesses casos, ao invés de reagir com o famoso "bateu levou", eu começo o email agradecendo o contato dele, dizendo que isso é muito importante para nós. Atendo o que é pedido dentro do possível, peço desculpas se não posso atender além e encaminho o pedido quando necessário ao setor responsável.
No final do email concluo dizendo:

Não tem de que você me agradecer, eu é que sinto feliz em poder ajudar.
Sendo toda forma de servir uma bênção, eu é que agradeço essa oportunidade que você me deu de ser útil. Muito obrigado de coração
Um grande abraço

Sempre ganho um pedido de desculpas no email de retorno e um agradecimento sincero pelo que foi feito. Mesmo que eu não tenha podido fazer nada por ele.

Às vezes, tudo que precisamos fazer é dar a pessoa esta outra face. Eis a outra face.
Postar um comentário