quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Salvos pela desorganização

Que São Paulo é um dos estados mais organizados do país, isso é indiscutível, mas eu acho que eles acabaram pagando por essa organização, pois o crime é mais organizado também. Possivelmente, até mais que o estado como se tem podido ver nos últimos tempos. 
Enquanto eles sofrem ataques de uma facção criminosa que opera como uma máfia nos bastidores do poder público paulista, o governador declara que é exagero, afinal, morre muita gente todo dia numa cidade com tanta gente. Uma declaração fácil de se sustentar quando entre os números estatísticos não consta um filho nosso. Mas é bom não esquecer que todos os "números" têm mãe e os dados sempre doem muito em algum lugar. Enfim, o que eles não querem admitir é que estão há anos num acordo tácito com a máfia paulista. É duro para um estado admitir que pode estar fazendo concessões para poder governar. 
No Rio, não. Somos beneficiados pela nossa natural desordem. O crime reflete o estado. Não há uma facção única como lá, mas um monte de facções que brigam incessantemente entre si e que brigam com as milícias e que brigam entre eles o tempo todo. É uma "autofagia". Ele se devoram mutuamente na sua desordem plena e caos. Tudo isso para a nossa sorte. 
A polícia carioca, muitas vezes, tem a opção de deixá-los se matar e entrar para catar os restos. E não o faz porque na briga do mar com o rochedo que se dá mal é o siri, no caso a população.  Isso sem falar que ela (a polícia) possui um estrutura de combate ao crime moldada em anos de precariedade e reveses. Forjada a ferro e fogo na adversidade se tornou mais forte. Assim é o Rio de Janeiro, um estado que acabou sendo beneficiado por a mais estranha das virtudes. A salutar desordem dos bandidos. 
A PM agradece.
Postar um comentário