terça-feira, 29 de maio de 2012

500 posts de vida: sobrevivendo na selva do comente o blogue abaixo


"Semi-antissocial" assumido, não gosto muito de festas nem de comemorações que acho, na maioria das vezes, um saco. Tenho minhas razões e não são poucas. A única coisa que gosto menos do que isso são as homenagens a pessoas vivas com nomes em prédios ou lugares. Aqueles locais, bibliotecas, prédio que as pessoas insistem em colocar o nome de alguém politicamente proeminente e os proeminentes homenageados nem se dignam ao menos de morrer logo após para fazer jus à homenagem. Quanta vaidade! É.. estou ficando velho e implicante. Excesso de bom senso, escassez de paciência com a vaidade do meu semelhante.
Mas estou aqui para comemorar 500 posts do saco de filó. Na verdade, mais de 500 já que esse deve ser o 503, sei lá. Já são quase cinco anos sem fazer CTRL+C e CTRL+V, sem fazer os odiáveis memes, sem colar piadinhas "chupadas" de outros sites, sem fazer o "me segue que eu te sigo", sem encher de imagens catadas na internet com gracinhas diversas, sem fazer os textos de louvor aos colegas para receber um também... Enfim, quando criei o saco de filó em 2007, queria era um espaço para escrever, trocar ideias, as minhas ideias e não aquelas copiadas dos outros, que aliás, não são minhas. 500 posts escritos de próprio punho... Ufa!
Não queria ser acompanhado porque eu o acompanho, mas porque o leitor aqui me deu a honra de abrir seu tempo para ler o que escrevi. Leio muitos blogues (muitos mesmo), mas comento poucos, muito blogueiro que eu leio, nem sabe que eu o leio e espero que assim fique porque não quero que sintam na obrigação de me ler.
Oura coisa, não resolvi monetizar, de início, o blogue porque não vivo disso, divirto-me com isso e pretendo manter afastado o dinheiro da minha diversão. Coloquei algumas propagandas e adsense do Google por insistência extrema de um amigo blogueiro. Outro dia, o Google me avisou que eu tenho uns 100 dólares para pegar em algum lugar.. Li as instruções, segui os procedimentos e nada.. desisti. Não é para isso que estou escrevendo aqui.
Mas eu posso mudar de ideia.... E se um dia eu me tornar alguém proeminente por causa do saco de filó, fiquem à vontade de batizar uma praça com o meu nome... 

Prometo até que morro depois disso... de desgosto.
Postar um comentário