sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Conceitos e definições - Por um ano realmente novo

Conviver com jovem o faz manter-se sempre conectado com o jovem que você foi. Envelhecemos e distanciamo-nos da leitura daquilo que um dia teve ideias, concepções, conceitos e definições diferentes do que agora somos.
A sociedade nos oferece modelos do que é ser feliz, do que é ser bem sucedido, do que é ser bom. 
Ser feliz não é um comercial de Claybom em que todos acordam sorrindo e desenham carinhas na superfície lisa da margarina antes de passar no pão. Pessoas costumam acordar amarrotadas e as embalagens já se encontram abertas e totalmente reviradas na superfície.
Sucesso e dinheiro, realmente não são sinônimos. Se seguirmos esta equação dinheiro = sucesso encontraremos numa ponta Bill Gates (ou Warren Buffet) e na outra, pessoas como, por exemplo, Jesus (ou Budha), que até onde se sabe não deveria ter nenhuma lista de bens muito grande a se declarar na receita federal e não pode ser considerado um fracasso. Pessoalmente, acho que ambos estão longe disso.
E, finalmente, ser bom. Bom é um termo não-concluso. Ele pede um complemento. Dizer ser bom é insuficiente para definir pelo menos bom para que ou para quem. Acho que o bom é ser bom, de alguma forma, para todos. Bom filho, bom marido, bom pai, bom colega e acima de tudo, bom para si mesmo.
Carecemos um conceito de mais claro do que é ter sucesso, ser feliz, ser bom pois, em face da diversidade dessas ideias, corremos atrás do próprio rabo. Corremos, às vezes, pegamos, constatamos que é nosso, soltamos, corremos de novo, pegamos, constatamos que é nosso...

Ad infinitum et ad eternitate...

E que todos tenha um 2012 mais claro em seus conceitos e buscas.
Postar um comentário