quarta-feira, 27 de julho de 2011

Manias esquisitas dos falantes de português


Somos a terra dos falantes HIPERBÓLICOS. Aqui as pessoas falam que isso ou aquilo é a oitava maravilha (na verdade só havia até pouco tempo 7), morremos de fome e continuamos vivos e ficamos carecas por saber algo durante muito tempo.
Mas o mais engraçado é o caso da frase “concordo com você em gênero, número e grau.” Pois é. Gênero e número, tudo bem. Mas GRAU. Bom, aí vai uma aula de graça:

Ao contrário do que trazem algumas gramáticas, grau é uma derivação ou como chama MATTOSO, uma derivação é voluntária (derivatio voluntaria). As pessoas flexionam porque querem, não porque “tem que”. A concordância se dá efetivamente com as flexões, não necessariamente com as derivações.

Dessa forma, concordar com o grau é um extremo mesmo. Corresponderia a dizer:

Um caderninho pequeninho minúsculo

Esquisito, mas expressivo!
Obs.: Saca o bumbumzinho pequeninho da moça da foto. Não é montagem. Isso é que é uma hiperbole in natura.

5 comentários:

Anônimo disse...

rsrs

Excelente o seu artigo. Fiquei com uma certeza: tenho que voltar a ler os manuais de português. A cada dia me apercebo, do quanto não estudei na altura devida.

Abs

Minhas Poesias Irradiantes disse...

Além de eu concordar plenamente com o que sabiamente Disse a nossa amiga Letícia M. em gênero e número, comento ainda dizendo um certo Filósofo quando pode dizer a um certo tempo passado que: "Tudo que sei é que nada sei!!!!!!!!"
Portanto agradeço-lhe a grande aula "dy grátys" que passo a reescrever aqui com finalidade única de avivar bem minha memória assim: "Mas o mais engraçado é o caso da frase “concordo com você em gênero, número e grau.” Pois é. Gênero e número, tudo bem. Mas GRAU. Bom, aí vai uma aula de graça:

Ao contrário do que trazem algumas gramáticas, grau é uma derivação ou como chama MATTOSO, uma derivação é voluntária (derivatio voluntaria). As pessoas flexionam porque querem, não porque “tem que”. A concordância se dá efetivamente com as flexões, não necessariamente com as derivações.
Dessa forma, concordar com o grau é um extremo mesmo."E tenho "Ditto"!!!!!!!

Alba Simões disse...

Muitos estão com os ouvidos mal acostumados como papagaios...
Habituando-se, repetem aquilo que ouvem, sem investigação da linguagem!
Muito bom seu artigo!
Abraços

Alba Simões disse...

Muitos estão com os ouvidos mal acostumados como papagaios...
Habituando-se, repetem aquilo que ouvem, sem investigação da linguagem!
Muito bom seu artigo!
Abraços

João Bosco Guimaraes Mafra disse...

Concordo com gênero, número e sem GRAU, para não virar HIPERBÓLICO.

João Bosco