segunda-feira, 25 de abril de 2011

São Jorge não merecia isso.. nem a gente.

Nesse último final de semana, houve em minha região a festa dos cavaleiros ou Festa de São Jorge. É uma festa tradicional em que vários cavaleiros e amazonas se reúnem para desfilar pela cidade e espalhar um belo tapete de merda de cavalo pela cidade deixando-a aromatizada com o peculiar odor de urina e estrume durante os dias que se seguem a comemoração. Na ocasião, dá-se a tradição do álcool ao extremo. Os festejantes se embriagam ao limite de seu corpo e, ocasionalmente, espancam os animais com tradicional violência ou mesmo reagem ao mínimo estímulo que, sob o efeito da bebida, justifica que se esfaqueiem ou atirem um nos outros. Isso sem falar nos acidentes de trânsito com animais desgovernados pelas ruas que tornam a ocasião algo marcante na vida de qualquer pessoa que more no local. 
E os festejos correm pelo final de semana com todo tipo de barbaridade e insanidade possível, afinal, é a tradição. E como dizem os politicamente corretos, não devemos julgar as culturas, mas entendê-las, afinal, devemos respeitar as diferenças (sic). 
E ano que vem tem mais tradição...Viva a tradição!?

***
São Jorge não merecia isso.
Nem a gente...


5 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Na verdade essa é uma comemoração à bestialidade humana. Ninguém está nem aí pro verdadeiro significado.

Marcelo disse...

Essa e muitas outras.. infelizmente, né.

Elayne disse...

Ainda bem que nem todos os cavaleiros praticam essas maldades com os animais e estão ali pela fé e para cavalgar mesmo. Como participante, posso afirmar que muitos (como eu) abominam a bebedeira, o desrespeito aos bichos e às pessoas. É uma pena que hajam aqueles que enfeiam a festa! Tomara que isso um dia mude (!!).

Pinheiro disse...

Concordo com vc Marcelo!! E tradição besta!! E porca né?

Flávia Damato disse...

Não é à toa que eu a-bo-mi-nooooooo festividades em que o pobre do animal é usado como desculpa para todo tipo de maus-tratos, e o(a) imbecil que fica em cima (uma alegria enorme quando vai ao chão)se acha "O" cavaleiro/"A" amazona. No meu ponto de vista, é tão cruel quanto os rodeios, as touradas, cãezinhos saltitantes em que o "treinador" possui um aparelhinho que lança pequenos choques no animal para que ele fique de pé por mais tempo que o normal, dê piruetas etc, etc, etc.

Eu já me aborreci diversas vezes com esses monstros "sem noção", e só parei quando tive certeza de que os imbecis exibicionistas não mais circulariam por ali, porque fiz questão de abrir um B.O.

Disse várias vezes e repito: NÃO RESPEITO CULTURAS EM QUE O SOFRIMENTO, FÍSICO OU PSICOLÓGICO, SEJA A ATRAÇÃO PRINCIPAL. E mais, tenho sérias dúvidas quanto àqueles que a apludem.

Uma coisa é certa: a valentia acaba rapidinho na delegacia. E, principalmente, quando o insano encontra alguém (eu, por exemplo) que não desiste até fazer com que ele seja punido. Pede até desculpas, acredite.

Viva a Cataluña!!!