quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O que Amy Winehouse e Facebook têm em comum?

São fenômenos do que chamo de mídia reversa (falem mal, mas falem de mim). São famosos porque são escândalos, e não por que trazem bons exemplos ou mesmo inovações. Amy é, sinceramente, uma chata com aquela coisa de "rehab". A melhor palavra que tenho para defini-la é BIZARRA. Uma espécie de cria estática de Ozzy Osborne com Marylin Manson decadente. Há uma cantora chamada Joss Stone que, pessoalmente, eu acho muito mais interessante (além de linda) do que ela e não tem os holofotes que ela ostenta. Será que para bombar vai ter que fazer um vídeo em celular fumando crack? Para mim, não. Joss Stone, de boca fechada, já vale a pena ficar só olhando mesmo. Cantando hipnotiza.
Já o facebook é um orkut de classe média. Para alguns, o orkut virou aquela coisa de favelão com montoeiras de gente esquisita ostentando sua bizarrice. O facebook surgiu como uma opção até meio elitista de rede social (até quando?) E veio recheado de escândalos e tramas mostrados em filmes como aquele sobre o cara que inventou essa rede de relacionamento. De repente, a mídia só fala em facebook e você começa a receber um monte de convite dos amigos (ex-orkuts) para criar um perfil. Confesso, até eu fiz o meu. Mas continuo com meu lotezinho lá no favelão do orkut...rs
Em suma, nem um nem outro tem nada de absurdamente extraordinário que justifique sua repercussão atual na mídia.

P.S.: Saiba que não vejo Orkut como favelão, mas já ouvi isso de alguns colegas.


Postar um comentário