sábado, 1 de janeiro de 2011

Senso incomum nacional - reveillon!

Senso comum é, como todos já devem saber, a ideia de que uma coisa vale para todos sempre ao mesmo tempo. Todo brasileiro gosta de futebol e samba, todo baiano come acarajé, todo nordestino adora forró, todo carioca vive na praia, todo paulista só sabe trabalhar e ir para Praia Grande nos feriados. 
Acreditem! Compactuar com esse pensamento é desistir de pensar por conta própria. Digo isso pois sou vítima de um senso comum terrível. Festa boa é aquele cheia de gente, muita bebida e música alta. Odeio muvucas, música alta e gente embriagada falando cuspindo. Ou seja, odeio reveillon e carnaval.
E digo ainda que o reveillon é pior, pois vem gente que você nunca viu te beijar, abraçar e dar feliz ano novo com se te conhecessem há anos. E a contagem regressiva... que coisa escrota! Estamos em horário de verão.. Conto quando? Uma hora depois para ficar mais certinho? E aquele montoeira de gente colorida acreditando fielmente que branco traz paz, calcinha vermelha traz paixão, roupa amarela traz dinheiro... Olha só pessoal: branco suja fácil, calcinha vermelha é lingerie de pomba-gira e amarelo vai te deixar igual a um sinal luminoso já que é a cor mais visualizável pelo olho humano. No mais, nada muda.
E o show da virada.. cara, que merda é aquela todo ano igual cheia de música baiana e conjuntinhos "teen" que fizeram sucesso no ano que terminou? E afinal de contas, quantas Ivetes Sangalos possui a Bahia? O estado que mais produz "Ivetes Sangalos" no mundo...
De uns anos para cá, muitos hotéis fazendas e locais de turismo do gênero estão produzindo pacotes para esse público com aversão ao senso comum. Ou seja, sem música alta, sem bebedeira, sem muvuca.. com muita tranquilidade, espaço para crianças, natureza... coisas do gênero.
Sinto-me como o Brasil em 1500.. acabo de ser descoberto. 


Postar um comentário