quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O intermediário do chefe - o caminho mais curto entre o céu e a terra

Pouca gente se dá conta que, em toda empresa, há uma figura digna de menção nos anais do mundo corporativo, o intermediário do chefe. Ele funciona assim como uma espécie de santo que opera os pedidos que lhe fazemos junto ao Senhor Todo Poderoso que fez o céu, a terra e paga os salários de todos nós. Amém.
Ele não pode ser caracterizado como um puxa-saco. É muito simplista essa visão. Ele é muito mais do que isso, é aquele que fala com o chefe. Aquele que comunica as boas e más notícias, que oferece as boas ideias que lhe dão como se dele tivessem brotado. Esse é o emissário de tudo. Se queremos fazer um pedido, fazemo-lo ao emissário e ele passará ao chefe em uma língua que vai além da nossa capacidade de mortal de entender. 
Ele traduz nossos anseios, transfere nossos questionamentos e esperamos seu retorno do Olimpo de onde ele chega com as boas novas escritas ou faladas. Como Moisés que retorna do monte com os mandamentos escritos em pedra. Se perguntamos a ele: - falou aquele assunto com o chefe?
Ele nos olha com benevolência e piedade face a nossa condição de mortal e diz: - infelizmente, não foi dessa vez. Não houve oportunidade.
E retornamos para nossa mesa com a questão pendente enquanto o intermediário do chefe, esse ser que domina a língua dos homens e dos anjos, repousa em sua mesa e mantém devidamente afastado do chefe todo aquele que queira burlar a ordem natural das espécies e se atreva a dirigir a palavra ao grande líder.
Toda empresa tem isso. É impressionante.


Postar um comentário