terça-feira, 24 de agosto de 2010

Que exemplo deixamos para nossos filhos?

Os filhos espelham os pais. Antes de ser pai, sempre achei que isso fosse filosofia barata. Mas tenho tido inúmeras razões para acreditar que a coisa vai além das palavras.
Outro dia, durante uma aula em que eu explicava o que pressupomos e o que subentendemos em um texto. Eu disse que é possível, na frase “Maria parou de fumar”, pressupor que Maria fumava, com base na expressão “parou de”. Então, perguntei por que as pessoas achavam que Maria parou de fumar. As opiniões foram várias: tinha força de vontade, porque sofria de problemas respiratório, porque se sentia discriminada, enfim, cada um opinava e criava um subentendido com base no que tinha como vivência pessoal.
Foi nisso que uma aluna disse que Maria parou de fumar porque tinha uma filha pequena. Questionada com a relação entre parar de fumar e ter um filho pequeno ela explicou que ela (a aluna) fumava e que decidiu parar de fumar quando viu sua filha brincando com uma caneta, como se fosse um cigarro. Isso explicou tudo.
Fui pensando nisso durante o caminho para casa. Uma hora de volante dá pra mastigar muita idéia. No dia seguinte, em casa, sentei para ler o jornal como sempre o faço nas minhas curtas horas vagas. O meu pequeno Daniel (de dois anos e meio) se aproximou, pegou um dos cadernos do jornal (Valor Econômico) arrastou para o quarto dele. Não sem antes dizer: papai, eu qué lê.
Cheguei de mansinho no quarto e simultâneo ao Barney que passava na TV, o meu menininho me imitava com o jornal aberto e dizia: esse é o A, esse é o O.... esse é D de Daniel...
Com um sorriso que se espalha na alma, entendi tudo. Entendi e me pesou como toneladas a responsabilidade saber o que podemos deixar para nossos filhos.


9 comentários:

MAURICIO FERRAZ disse...

Caro marcelo, não tenho nenhuma dúvida quanto ao foi dito neste seu ótimo testo, hoje, aos 50 anos, vejo meu filho mais velho(19 anos), sendo exatamente aquilo que fui, quando era mais jovem, tendo outro de dez anos, espero que meus melhores exemplos sejam seguidos por este também... um forte abraço....

Valéria Braz disse...

"As crianças aprendem o que vivenciam"... e o que vivenciam é o exemplo que damos....
Belo texto....
Beijo no coração

Mr.Jones disse...

Excelente texto amigo. Os filhos acham que os pais sao "super-hérois" sem entender que alguns dos exemplos é o mundo torto.

O filho de um amigo meu é bem desordeiro, tanto em casa quanto na escola. Quando eu perguntei a ele porque ele não dava valor ao trabalho (da empregada) ele me respondeu "- Meu pai falou que bagunça da casa é pra empregada arrumar." Bem, nem preciso falar mais né?

abçs

Antonieta disse...

Prof.Marcelo

Antonieta disse...

Prof.Marcelo
Li este texto e gostei muito. Lembrei-me do que a bíblia diz: "Ensina o teu filho no caminho em que ele deve andar e quando crescer não se desviará dele". Entendo que muitos fatores na nossa sociedade pode influenciar os hábitos de uma pessoa, mas se os pais ensinarem aos filhos com amor e dedicação e colocando limites, com certeza os filhos terão prazer e alegria em ser como seus pais. O que está faltando para muitos pais hoje é a firmeza e o respeito que havia em outros tempos.Parece que os papéis mudaram, os pais agem como filhos e os filhos como pais.
Que os pais possam aprender com Deus o que é ser PAI.
Um grande abraço para você e para toda a sua família.

Yolanda Hollaender disse...

A gente sempre espera ser o melhor exemplo para os filhos.
Mas, eles também devem entender que somos vulneráveis e que podemos falhar, porque a vida não é um mar de rosas - não se pode protegê-los de tudo.
Portanto, educar é preciso, com o pé na realidade, respeitando a individualidade de cada um.
Meu abraço,
Yolanda

Adilean Coelho Alencar disse...

Belo texto!!!
As crianças pegam as coisa no ar,estão cada vez mais atualizadas.
E aprendem muito rápido.
A minha teoria é: O melhor ensinamento é o exemplo.
Sucesso!!!

Wander Veroni disse...

Oi Marcelo! Que crônica linda!!! Isso mostra o quanto é importante deixarmos bons exemplos aos filhos e que isso não é demagogia, mas sim aprendizado.
Abraço,
http://cafecomnoticias.blogspot.com

JediVisconti. disse...

Ainda não tenho nenhum pimpolho, nem uma Princesinha, mas só o fato de um dia querer trazer ao mundo um anjinho destes, me faz pensar o quanto a minha vida vai mudar, acredito que o quanto mais me preparo para este dia, mais me afasto da realidade da coisa, deve ser muito bom, e muito assustador ao mesmo tempo... Quem sabe um dia...