sábado, 5 de dezembro de 2009

Reality mas não tão "reality" show. Nem tão show...


Já vi reality show de pessoas trancadas numa casa, pessoas tentando ser empresários, moças querendo ser modelos, gente enfurnada na roça, gente passando fome e comendo porcaria numa praia paradisíaca, gente trancada numa casa transando do dia inteiro (isso tem em canal por assinatura sabia?), enfim, a mesma história no final das contas... gente olhando gente fazendo coisas que gente faz normalmente...
E aí vem mais uma a fazenda, mais um big brother, mais uma atração exatamente igual às que passaram antes e eu fico me perguntando o porquê de tanta audiência de uma coisa banalmente desinteressante. Aquele prazer de ficar olhando humanos como ratinhos de laboratório é algo que me soa como bizarro.
Já li diversas teorias sobre o fascínio que isso desperta, mas nenhuma delas me convenceu plenamente além do óbvio voyeurismo humano. As pessoas se agrupam na sala para ouvir os discursos tensos (sic) dos apresentadores (Bial, Bial.. quem te vi quem te vê) e sempre os mesmos desfechos. Cansei de falar mal desses programas, já superei essa fase. O que me guia nessas linhas é a perplexidade de uma fórmula repetida à exaustão e que, todo ano, ainda atrai milhões de espectadores.

Eu devo estar ficando um velho chato. Definitivamente, o problema é comigo.

Em tempo:
No final, é sempre o mesmo resultado. O mesmo que se esperava desde o início e que as emissoras tentam convencer que foi dado pelo voto popular.. ahã...

8 comentários:

Montanari disse...

Você não está ficando velho nem tampouco chato. Eu tenho verdadeira ogeriza de reality shows. Meu Deus! Programas acéfalos para gente acéfala. As vezes ouço as pessoas comentando do programa da noite anterior, como se estivesse falando da vida da vizinha. Rindo, se divertindo, achando tudo a coisa mais fantástica do mundo.
Pra mim esses programas e seus ridículos telespectadores são tão dispensáveis quanto aquilo que o cachorro deixa na calçada.

Comentários de meu cotidiano disse...

Prefiro concentrar-me nos meus afazeres...

Iúri disse...

Olá Marcelo,

Sem dúvida um ótimo ponto de vista sobre os "reality shows".

Pelo que já ouvi a grande audiência mesmo se deve às brigas, desentendimentos, etc.

Você pode reparar que, quando um desses shows está tranquilo, sem brigas, a emissora dá logo um jeito de colocar um personagem polêmico no jogo.

E sobre a manipulação dos resultados, a cada show isso se torna mais claro.

Abraços.

Wanderley Elian Lima disse...

Não Marcelo, você não está ficando velho é que paciência tem limite e a nossa já se esgotou com tanta merda na TV brasileira.
Abração

Helio Y. disse...

Argh, odeio esses programas, o fato é que de fato (rs) não possuem conteúdo nenhum além da pornografia e das discussões pessoais.
Esses programas estão aí para provar como o povo brasileiro é burro e fútil, e olha que não me refiro apenas a classe pobre, afinal, a classe média também é um grande público.
E a montanha de dinheiro que faturam só com torpedos e ligações?
Fala sério, enquanto o povo gostar dessas porcarias nunca vamos evoluir como sociedade.
Parabéns por expor o tema.
Abraços

Rabib disse...

Marcelo, quando vejo qualquer Reality Show lembro-me de velho Aldous Huxley, no Admirável Mundo novo, que descreve no meio da narrativa um grande zoológico humano localizado no ex-EUA onde a nova sociedade paga para ver o comportamento da antiga. O interessante é que Huxley descreve uma sociedade cujo governo não é mais democrático mas a sociedade é governada por uma grande empresa! Huxley, como sempre, apontava o futuro, onde as empresas $eque$$$tram os homens para fazer deles um bizarro e tedioso espetáculo. (Detalhe: Huxley escreve o livro em 1932)

Wander Veroni disse...

Oi Marcelo!

Faz tempo que não apareci no seu blog, hein! Adorei voltar e ver esse artigo sobre reality show, Confesso que assisto, como se fosse uma novela. Se não gostar, paro de assistir. Não me prendo.

E o pior é que vc tem razão: são sempre os mesmos formatos e perfil de participante. Confesso que a cada ano vem perdendo a graça...ainda sim, dependendo do caso, prefiro ver uma boa série, filme ou ler um livro...ganho muito mais!


Abraço,


http://cafecomnoticias.blogspot.com

Mulher de Fases disse...

Marcelo,
Parabéns pelo seu blog e já o add aos meu favoritos!
Li de "cabo a rabo" e fiquei surpresa com tanta postagem interessante, bem diferente dessa programação de realities que só mostram bizarrices...
Como bem mencionado no comentário do Rabib, esse tipo de programa nos dá a impressão daqueles shows circences de horrores, estilo O homem cobra, lembra?
Abços