sábado, 26 de dezembro de 2009

Monografias, vida acadêmica e cara de pau: uma tríade clássica


Toda monografia começa com aquela conversa de "agradeço primeiramente a Deus, agradeço a meus pais, aos meus mestres que me ensinaram lições de vida, ao meu orientador pela paciência e blá, blá, bla..." Mas creio que vai chegar um dia em que as pessoas atingirão um grau de sinceridade que nos fará sentir saudade dos tempos de hipocrisia em que nos adoçávamos com mentiras, mas não nos amargávamos com verdades. E aquele aluno malandro começará os agradecimentos de seu trabalho de conclusão de curso assim:

Agradeço primeiramente ao Google sem o qual esse trabalho não seria possível, agradeço a meus pais que pagaram o curso enquanto eu ficava bebendo no bar com a galera, agradeço aos meus amigos que me ajudavam nas provas permitindo que eu pegasse uma questão de cada um para não ficar em DP em mais uma matéria, agradeço ao meu orientador que, possivelmente, não leu uma linha dessa monografia que fiz aparecer em última hora, mas que se encontra aliviado nesse momento próximo a se ver livre de mim em definitivo, agradeço a Microsoft que inventou os atalhos CTRL+C e CTRL+V e tornou o mundo um lugar melhor.

Postar um comentário