sábado, 26 de dezembro de 2009

Monografias, vida acadêmica e cara de pau: uma tríade clássica


Toda monografia começa com aquela conversa de "agradeço primeiramente a Deus, agradeço a meus pais, aos meus mestres que me ensinaram lições de vida, ao meu orientador pela paciência e blá, blá, bla..." Mas creio que vai chegar um dia em que as pessoas atingirão um grau de sinceridade que nos fará sentir saudade dos tempos de hipocrisia em que nos adoçávamos com mentiras, mas não nos amargávamos com verdades. E aquele aluno malandro começará os agradecimentos de seu trabalho de conclusão de curso assim:

Agradeço primeiramente ao Google sem o qual esse trabalho não seria possível, agradeço a meus pais que pagaram o curso enquanto eu ficava bebendo no bar com a galera, agradeço aos meus amigos que me ajudavam nas provas permitindo que eu pegasse uma questão de cada um para não ficar em DP em mais uma matéria, agradeço ao meu orientador que, possivelmente, não leu uma linha dessa monografia que fiz aparecer em última hora, mas que se encontra aliviado nesse momento próximo a se ver livre de mim em definitivo, agradeço a Microsoft que inventou os atalhos CTRL+C e CTRL+V e tornou o mundo um lugar melhor.

5 comentários:

Montanari disse...

Hahahaha... adorei esse texto. Nem tanto por ser engraçado, e ele o é, mas porque eu não gosto dos humanos e acho-os hipócritas. Todos usam de hipocrisia, toda hora, para tudo. Hahaha... Muito bom.

Ebrael Shaddai disse...

Não haverá mais detector de mentiras. Não haverá mentiras!! A verdade é aquilo que nunca muda, então todo cara-de-pau, da madeira mais durável será o grande exmplo de homem "verdadeiramente" estúpido!!

Abs e meus pêsames!! Pois se a verdade aparecer nua e crua, não sei se eu encaro comer ela!!

Luisa L. disse...

Marcelo,

E o mais hilariante é que há sites que já fazem as monografias: encomenda-se, dá-se o mote e eles fabricam. Claro que ele dizem que é para quem não tem tempo... que é como quem diz, para quem tem uns cobres!

Muito engraçado o texto!

Abraços
Luísa

Lucas Mateus disse...

Acho um tremendo absurdo quem faz monografia copiando textos da internet. Conheço amigos que se formaram dessa forma e não passam de pessoas desqualificadas e tapadas com assuntos do próprio curso a que se formaram meses atrás.

Não sou nenhum santinho, já colei sim, já fiz alguns trabalhos com o auxílio do Google, mas posso me vangloriar em dizer que minha monografia foi, modestia à parte, muito bem feita, pesquisada arduamente durante um ano inteiro e orientada de forma exemplar pelo meu professor. Acho que quando o cara faz a "mono" sobre o tema que gosta de verdade, se empenhará em fazer um trabalho digno e de qualidade.

Flávia Damato disse...

Num país em que comprar livros torna-se privilégio, o Google é uma excelente fonte de pesquisa, salvo o bom senso. Graças a ele consegui três excelentes teses e outros bons artigos para a minha mono (todos previamente avaliados pelo meu orientador). Mas é, sem dúvida, vergonhoso usar as "teclas mágicas" (CTRL+C e CTRL+V) para tentar encobrir a patética preguiça de pensar... Aff! É como passar recibo de incompetente. Ponto.

Sobre o grau de sinceridade... Bem, não vai ser dessa vez que eu poderei fazer uso dele... Então, viva a "doce" hipocrisia! rs

Bjs!