quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Golpe do vigário: um jogo de espertos.

Outro dia assisti na TV a um caso de uma mulher que foi fazer uma lipoaspiração em uma clínica e sofreu sérios danos físicos, vindo a falecer logo depois. Bom, a irmã dela já havia sido vítima do mesmo médico e mostrava os sinais no corpo. A clínica era de fundo de quintal, o médico era um ortopedista e pedia 5 mil reais, mas se você oferecesse mil ele topava. Ao estilo, lipoaspiração na minha mão é mais barato, com gritos de camelô em freira livre.
Deixa ver se eu entendi, um médico colombiano (sei lá, acho que é isso), ortopedista, abre uma clínica de fundo de quintal para lipoaspiração, faz uma promoção do tipo um real. Observe que o cara já respondia a uma tonelada de processos na justiça. Bom, aí eu aproveito a promoção e vou tirar minhas banhas no barato.. huuummm
Existe um otário metido a espertalhão nessa história e sei não..... mas acho que não é o médico.
É como aquele cara que comprou um Honda Civic 2006 por 20 mil reais, ficou feliz porque fez um bom negócio até que descobriu que era roubado. Respondeu processo e perdeu o dinheiro. Coitadinho do espertalhão!
Olha só. Eu sou flumineiro (meio fluminense e meio mineiro), dessa forma, sou desconfiado de pai e mãe. Acredito que laranja madura na beira da escada ou está de vez, ou definitivamente, está bichada.
A facilidade excessiva sempre desperta desconfiança. É como aquelas propostas de trabalho que recebemos por e-mail do tipo; “trabalhe em casa, faça o seu horário, tenha uma renda de 4 mil reais por mês sem sair de casa” Pensa bem... Em um país com salário mínino de 400 e poucos reais, se você soubesse de uma maneira de ganhar isso tudo sem sair de casa, fazendo o seu horário, sinceramente, você sairia gritando para todo mundo?
Se a sua resposta é sim...
Muito prazer, Marcelo. Quer ser meu amigo? Por favor, diz que sim...

Em tempo:
Não sou santo, mas se a esmola é demais... Agradeço e dispenso.


Postar um comentário