terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Da série ambiente de trabalho VII : o aspirante à pombo correio

Sempre bem informado, Silvonaldo se encarregava de fazer com que qualquer notícia que saísse no cafezinho chegasse aos departamentos da empresa o mais rápido possível. Via aquilo como uma vocação, um destino traçado pelos deuses para ele. A isso somava seus dons de interpretação que davam às histórias um tom épico e fazia de qualquer batidinha de trânsito, um acidente de três carretas, um caminhão tanque, um ônibus escolar... dezenas de mortos e feridos.
Mas o seu maior prazer eram as notícias da empresa, a foice. Toda semana em fim de mês, ele chegava com a mesma conversa:
- Sei não, estão dizendo que vai haver um corte e o chefe já está com todos os nomes na mesa dele.
Outra vez...
- Sei não, dizem por aí que décimo terceiro este ano.. huuum nem pensar...
E variava...
- A firma está quebrada... ouvi dizer que nem sabem se vai haver pagamento no mês que vem.
Era sempre a mesma história e aquilo lhe dava um prazer quase sexual. Mas o fato é que havia pagamento em dia, não havia demissões e o décimo terceiro saía religiosamente antes do Natal...
Um dia se encheram do Sivonaldo e o colocaram na rua.
...
Com uma cartolina ele exibia uma frase na frente do prédio durante aquela tarde.

11 comentários:

Wander Veroni disse...

Oi, Marcelo!

Existem tantos Silvonaldo por aí, né! Principalmente aqueles que adoram passar fofoca mentirosa pra frente...hehehehe.

Mas quero levantar um debate: no estudo da comunicação organizacional (ou empresarial) existe ainda o funcionário fofoqueiro, não o destrutivo, mas que adora passar as últimas notícias da empresa para frente. Tanto para o público interno, quanto externo.

Esse se domado pode ser de grande serventia, pois consegue fazer um marketing positivo da empresa pelo boca-boca. O problema é conseguir domá-lo...rs.

Essa séria está maravilhosa!!! Parabéns.

Abraço,

=]
-----------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

All3X disse...

Tenho que concordar com Wander, essa série está muito boa mesmo.
É esse seu tom épico...
Agora esses Silvonaldos acabam com a gente. Como sempre há algo a se dizer, nunca sabemos qual parte é irreal, e qual não é fruto de ficção. Além de trazer pânico, retira a atenção dos demais para algo que seria mais útil, como o próprio trabalho e o conforto que se possui.
Valeu Marcelo.
All3X

Deka Silva disse...

Estão cada vez mais verídicas essas suas histórias...
Enxergo sempre alguém que convivo no trabalho quando leio seus post!

Alguns não tiveram esses finais! Mas quem sabe...

Caio Rudá disse...

Primeiro, a imagem do post é cômica. Gostei dela.

E realmente a série tá ficando muito boa. Se você for abordar por aqui todos os tipos de empregados, dá conteúdo pra boa parte do ano que vem.

Lilian Devlin disse...

Marcelo,
Aqui na empresa tem uma Silvonalda, que por obra e graça do Divino Espírito Santo,foi transferida para outra unidade e agora, para meu deleite, só a vejo uma vez por mês!
Caramba, chega a dar engulhos as atitudes dessa "mocinha".E a gente vê mesmo os olhinhos dela brilharem a cada "novidade" que sempre são "do mal". Mas temos que confiar na justiça divina e quem sabe, não será ela a próxima a vermos aqui na porta com o tal cartaz... (Aff, que não posso pensar assim, porque tem a lei do retorno!! rsrs Vade retro!)
Bjs!!

Berenice disse...

Marcelo, muito boa postagem. E pensar quantos Silvonaldos existem por aí, não é mesmo? Mas pode reparar que o fim deles é quase sempre este. Abçs

Marcus "OROCHI" disse...

HWHUAHUHWUHUAHUWHA

Caramba, Silvonaldo foi triste, quase engasguei com o refri aqui quando li o nome! xD

Mas tipo, esses portadores de más notícias que nunca se realizam são clássicos mesmo... geralmente quando eles abrem a boca todo mundo arruma uma coisa pra fazer e sai de perto.

Gabriela disse...

De onde vc tira tanta criatividade?? (rsrsrs)
Muito bom... gostei demais!!!
Mas quem dera que todos os Silvonaldos terminassem com uma cartola nas mãos. Lembrando que a primeira parte do nome de Silvonaldo me remete bastante àquele "silvo" dos apitos que têm a função de exercer aquele som agudo e longo... (rs), não sei se vc teve essa intenção em relação ao nome, mas apito me lembra aviso e acho que se vc teve essa intenção posso dizer que seu texto é muito bem estruturado, mas isso eu nem precisava dizer (rs). É uma pena que a maioria das pessoas só prestem atenção na "historinha". Contar uma historinha é fácil, mas a maneira como o autor faz isso é que faz a diferença.
Parabéns e um abraço.

Marcio Sarge disse...

A profecia vitima o profeta rs.

Marcelo, nunca achei que ler sobre o trabalho fosse tão bom, de verdade, deveria escrever um livro sobre essa série.

Só os nomes das peças já renderiam um forum rs

Abraço!

luanova disse...

Infelizmente toda a empresa tem um sujeito desses para infernizar a vida de todo mundo, enquanto não vê desgraça não funciona, aliás só funciona quando ocorre muita fofoca e boatos, que para seu deleite ele sempre soma uns pontos a mais. Xô figura sinistra. Mas deu para dar boas risadas. Valeu. Um abraço.

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Isso aconteceu com minha amiga. Onde eu trabalhava o índeice de rotatividade era enorme, daí ela era portadora da má noticía. Como as vendas não estavam lá essas coisas, ela sempre dizia que o setor ia acabar e que todos seriam demitidos.
Todo mês ela já se antecipava dizendo que ela seria a próxima a ser demitida. Quando chegou a vez dela, ela não acreditou que realmente ela tinha sido demitida.