sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

A arte de comentar II – Só comenta bem quem lê bem.

Acho que a natureza é nosso maior bem e precisamos preservá-la. A floresta amazônica por exemplo. Valeu. Visite meu blogue.

(o texto falava sobre a “natureza” agressiva do ser humano. O cara não leu, viu a palavra natureza na primeira linha e falou sobre a floresta.... huuum. Que gênio!)


Primeiro de tudo. Leia o texto. Isso é básico.
Tem colega de blogue que, quando encara uma postagem sem vídeos do youtube, sem piadinhas coladas de outros sites, e com um texto com mais de 15 linhas, lê as três primeiras linhas, as duas últimas e emite uma opinião completamente sem pé nem cabeça.
Para quem postou não fica mal, fica mal para quem escreveu a besteirada sobre algo que nem sequer leu. O saco de Filó é conhecido por ter comentaristas de grande qualidade de texto e opinião e que inserem comentários tão bons quanto os próprios textos postados. Já houve casos de comentários virarem objetos de comentários dentro da postagem, como se fosse outro tema da postagem na área de comentários.

O texto é grande, você não gosta de ler, pule. Deixe a vez para outro. O texto é de poesia e você não gosta, pule. Seja gentil. Essa é uma idéia básica da lei do retorno. Entretanto, se você vai ler, comece da primeira linha, acompanhe a idéia de quem escreveu (se estiver uma porcaria, interrompa e ceda sua vez). Leia, então, atentamente, até o final.
Ao término, pergunte-se: Eu entendi? Eu gostei? Vale a pena comentar? Se a resposta for sim. Mãos à obra. Identifique no texto um ponto da idéia que você pretende acrescer algo, ponderar, ou simplesmente elogiar. Comente então...

Se não der conta, seja gentil, pule, passe sua vez.


Leia também
A arte do comentário I: As comunidades e seu funcionamento básico


26 comentários:

Anônimo disse...

Sem falar quando o cara vem e deixa "muito bom!". Deixa qualquer frase apenas para dizer que comentou ou para ganhar alguns pontos no diHIT por exemplo.

Dani Antunes disse...

Concordo plenamente!
Pra quê comentar se não se sabe o que comentar?!
Ainda mais eu que sou conhecida na internet por ser "contadora de causos"... rsrsrs
Imagina "hj eu vi uma senhora na rua sentada, chorando". Aí o fpd vai lá no meu blog e fala: "pow! bacana a música de fundo... tb me amarro na alicia keys"!
Tenha a santa paciência!! rsrsrs

*Adoroooooo aqui!

Bjs

Michell Niero disse...

Acho engraçado quando colocam todas as fichas na educação. Parece que a escola é algum território sagrado, descolado da realidade, ou então uma grande oficina mecânica de cérebros. O problema do comentário ruim pode ser o apartamento.

Há pesquisas bastante fidedignas mostrando que a vida enclausarada em apartamentos pequenos, sem socialização com a vizinhança, típica das grandes cidades e da classe média fundadora de blogs, eleva as chances de um adulto crescer com distúbios relacionados a ansiedade. Ora, o que são estes comentários imbecis senão um reflexo da ansiedade, do imediatismo pós-moderno, do "próximo, por favor", do "vamo que vamo"?

Por isso, antes que meter o pau na educação, deveriam consultar um bom corretor de imóveis. Talvez ele possa ter parte da "culpa" também.

All3X disse...

Marcelo, encontro por aí muitos blogs que possuem postagens que não tenho empatia, mas procuro alguma coisa para ver se gosto e comento.
Mas, em raros momentos, encontramos algo que dá gosto de ler. O que é muito bom, sinal que há vida inteligente na blogosfera. E por isso temos que prestigiar ssas pessoas, para que façam a diferença nesse local de incautos (prefiro assim do que dizer 'incultos').
Valeu,
All3X

Marcelo disse...

Alex,

Eu também faço o mesmo. Às vezes, eu acho pérolas onde não há nada além de esterco. Aí eu comento. Mas quando não há nada, eu nem entro na brinceira do comente o blogue acima.
Abs

Ellen Regina - facetasdemim disse...

Sei não, Marcelo.

Depende do blog. Quando eu sinto q um blog é maleável eu até sugiro educadamente algumas dicas de como não cometer os mesmos erros no futuro e na maioria das vezes a pessoa retorna para agradecer.

Quando percebo q o blogueiro é uma topeira deixo frases evasivas de dupla interpretação onde a pessoa nunca saberá se fiz um elogio ou uma crítíca, e geralmente é a segunda! hauahauahauahauahau.

Lomyne disse...

Marcelo, me responde sinceramente: quantos blogs decentes você tirou dessa brincadeira de "comente no blog acima"? Veja que quando digo decente não estou falando do comprimento das saias, não falar de sexo ou do fato de não haver palavrões (aquelas coisas fofas de quem escreve que fulana é uma p*ta).

Estou falando de vida inteligente na blogosfera. Sério, passa a peneira, passa o que sobrar pela meia de seda e me diz quantos sobram.

Nêgo tem é falta do que fazer na vida, porque sinceramente eu respeito muito qualquer um que me disser que lê 10 blogs assiduamente. Mas assiduamente de verdade, tipo lembrar do último post que leu e quando voltar lá ler tudo que foi escrito deste então. Vou te dizer a verdade, atualmente faço isso com três blogs.

Bons blogueiros cagam e andam pra promover o blog. Os bons um dia serão descobertos e pronto, não precisam esmolar comentários em comunidades. Você por exemplo.

p.s.: assino o mea culpa, perdi umas duas ou três tardes nestas comunidades. Depois cansei.

Lomyne disse...

poutz, malz, comentei no post errado.

joselito disse...

O grande problema, que muita gente quer marcar presença, quer link de retorno, quer aparecer e muitas vezes não tem nada a dizer ou acrescentar. É quase uma obrigação deixar um comentário, as vezes sobre assuntos que não tem nada a ver e que ele pouco entende.

Anna Corbo disse...

Atribuo o sucesso de algumas matérias à retórica. Falar bem, escrever bem é um talento, exercitável mas um talento.
tem gente que fala de política e não dá nem pra terminar de ler outros, com talento, faz a leitura fluir,. Envolver o leitor é uma arte pra poucos,

ViNícULa disse...

nem me fale dessa de receber comentários

depois que uma pessoa deixou um
"oi, visita meu blog"
eu decidi abandonar todas as redes socias das quais participava

o fato é que eu escrevi quase um texto para tentar dizer que não aceito mais esse tipo de comentário

como comentei em outro blog há pouco
a "blogosfera" acaba por refletir um pouco a sociedade hipócrita em que vivemos
não há mais valorização do trabalho dos outros
há apenas uma busca pela minha valorização

pois é
não sei se era esse o comentário que esperavas receber
mas
só fugi do assunto agora
eu acho


abraço!

Junior Silva disse...

Pois é, é a busca da fama como muitos já disseram, mas tem gente pra tudo nesse mundo...
Penso que uma opinião clara, objetiva e bem escrita acerca de qualquer postagem ou outra coisa qualquer, instiga o senso de debate e troca de idéias, fazendo enriquecer ainda mais um assunto.
Como disse o amigo aqui de cima, é preciso que se valorize as pessoas que sabem se expressar, aqueles que tem o domínio da escrita, senão, a coisa vai acabar sendo nivelada por baixo...

joao Assis disse...

Marcelo,
Essa batalha visando a melhora da qualidade é sem dúvida uma grande bandeira á ser seguida por todos nós,pois conquistamos essa ferramenta de comunicação,agora devemos adequá-la para que possamos fazer grande uso dela,ou seja,melhorar nosso mundo.
Um grande abraçoe parabéns pelo trabalho,que julgo de grande valia.

Anônimo disse...

O lado bom é que esses comentários insatisfatórios são em menor número, os bons comentaristas, as vezes, fazem um texto melhor do que nosso, no meu caso é claro, e isso já compensa.
Eu não comento mais no dihitt para não sofrer com os patrulheiros de plantão que chegam até a remeter e-mail querendo saber o significado do que foi dito.

30 e poucos anos. disse...

Certa vez coloquei um post sobre ejaculação precoce que tinha um video ... o video é uma gde brincadeira e fica muito engraçado mas alguns nem viram o video e mandaram comentários sérios sobre o problema da ejaculação precoce...teve um q até indicou terapia hahahahaha

Balinha* disse...

Duro é quando encontro blogs com textos sem pé nem cabeça (poesia na cabeça dele) e essas "poesias" vão do começo até o fim do blog...

Ronalducho...essa foi boa no seu comment.

Anônimo disse...

O meu último post se chama: "Calote: Dar ou não dar!" que fala sobre o possiível calote do Equador e do Paraguai. E teve gente que comentou sobre o calote propriamente dito. Dúlvido que chegou a ler o post, até o ponto que dá sentido ao título.
Mas um dia conseguiremos nos livrar desses comentários...rs

PS.Devido a falta de qualidade, de muitos blogs, indiquei o seu blog a um selo que eu ganhei (de novo...rs).

Abraços!!!

Jorge Fortunato disse...

Prefiro não comentar..rs
Poxa vocês estão patrulhando demais gente, deixa quem quiser falar o que quiser. Vou ser do contra. Eu nem ligo pra isso, na verdade, quem fica mal é quem fez o comentário.
Outro dia, li comentários sobre um post que fiz e notei que não haviam lido todo o conteúdo, mas fizeram questão de marcar ponto. Eu não patrulho, pensei até em falar, mas depois o que eu ia ganhar com isso? só iria criar caso.
Pelo tempo no diHITT já sabemos quem faz bons comentários. Mas é preciso fazer bons comentários?
Já falaram do número de linhas, dos comentários sem sentidos, etc etc etc.
Do jeito que a coisa está, falando de "arte de comentar", acredito que no fundo isso acaba inibindo alguns membros. Nem todo mundo é hábil com palavras, mas querem se expressar de alguma forma. Fica parecendo que as pessoas devem escrever teses. Vamos tolerar um pouco mais. Ou então vamos pedir ao Pablo para criar um diHITT acadêmico, com Mestres e Doutores. É isso que me cabia dizer.

Marcio Sarge disse...

Triste é viver em uma sociedade(seja virtual ou não) onde precisamos atentar a toda hora que ler é necessário.
Um tanto tão ruim quanto é ver quantas pessoas fazem questão de bajular o que é chulo.

Em tempo: Lomyne, leio por volta de dez ou doze blogs assíduamente e com prazer, são blogs com qualidade, com seus altos e baixo como qualquer coisa produzida pelo homem, mas de qualidade que levou muiiiiito tempo pra serem achados.

Marcelo disse...

Jorge, concordo em parte com você.
Acredito que as pessoas têm o direito de se expressar como quiserem, quando quiserem e do jeito que quiserem. Por outro lado, há o direito inalienável de não abrir espaço para todo tipo de comentário no seu blogue.
Não se trata de doutores ou mestres, mas acho que se o cara não tem habilidade com a escrita, procure outra maneira de se expressar como dança, música,m pintura.
Eu sou péssimo em futebol e na hora de dividirem os times eu sempre era jogado para um lado. Eu tinha direito de querer jogar e as pessoas tinham o direito de não me querer no time delas.
Abs

Arthurius Maximus disse...

Infelizmente, esse tipo de imbecil sempre existiu e vai continuar existindo. Tem gente que acha que figurar no topo do ranking do Dihitt vai lhe render milhões de visitas e transformá-lo num superstar da blogosfera. Uso o serviço desde 2006 e na verdade acho que ele desvirtuou-se completamente e de sua concepção inicial e passou a roubar audiência dos blogs.

O pessol fica tão fissurado no tal do ranking que vota, comenta pela sinopse e sequer vai nos blogs. Já tive notícias com mais de 80 votos e que geraram míseras 15 visitas no blog. Ou seja, a maioria sequer entrou no blog. Porque se sair do dihitt perde a oportunidade de subir no ranking.

Esse é o problema por lá. Exatamente como acontece no orkut nas comunidades de blog naqueles tópicos "comente no blog acima". Tem gente que entra lê e tem gente que tasca "belo texto"; "belo blog" e por aí vai.

Não há como impedir esse pessoal. Só banindo.

João disse...

Marcelo,

Antes de tudo devemos pensar por que comentar é importante.
Principalmente por duas razões,para exercício mental,fazermos funcionar este músculo cerebral e pensante,e depois para interagirmos na sociedade.
Só estas duas razão são suficientes,o problema é que há muita preguiça intelectual,que leva depois a uma sua insuficiência,e muito distanciamento de actuação em comunidade.

O resultado conseguinte são as observações e queixas de fraca qualidade e comentário falso...

Abraço amigo,os conselhos do texto sobre este tema estão bem feitos,deve-se ter mais consciência e rectidão,
joao

Original Guapster! disse...

Pular é muito legal para o exercício físico diário que todos temos que executar quase que diariamente. Aconselho muito a pular.

bjsvaleu

Paulo Avila disse...

Na verdade as pessoas não lêem porque não sabem mesmo ler e interpretar. As pessoas não lêem nem mais gibi.

Quanto aos blogueiros (bloguistas?), o problema é que muitos de nós somos muito egocêntricos: achamos que todo mundo tem que ler nosso texto, porque é muito bom, quase uma revelação profético-divina. Os outros são textos menores.

Na verdade, todo blogueiro tem anseio por sucesso, por reconhecimento nacional, então não há tempo para os outros. Se Jesus fosse internauta, com certeza estaria criticando os individualistas que só pensam em si e não tem compaixão pelos irmãos bloguiros: "ama teu amigo blogueiro como a teu próprio blog!".

Henrique Hemidio disse...

Seja radical... faça como eu
não deixe ninguém comentar no seu blog

Anônimo disse...

Ler é tão essencial, dentro e fora do blog. Para ter opinião é preciso ler, pesquisar, estudar, entender. O Sarge está certo, é muito triste viver numa sociedade cuja importância da leitura precisa sempre ser lembrada, ressaltada à exaustão para ver se é possível vencer pelo cansaço.