sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Da série ambiente de trabalho V: o bonzinho.

O cara não é chato, chato é quem diz que o cara é chato. O cara é prestativo. Astolfo estava sempre lá quando você precisava e, infelizmente, quando não se precisava dele também. Trazia bolinho que a mulher dele fazia para dividir com o pessoal, e, quando você menos esperava, ele ia a sua casa para comer o bolinho você tinha comprado. Gostava de se abrir com os colegas, falava de seus problemas pessoais, afetivos, financeiros, até sobre suas hemorróidas já se abrira com os colegas. Se o encontrava no mercado, ele o acompanhava durante as compras toda só para fazer companhia. Durante o período, falava somente do seu trabalho. Astolfo gostava do seu trabalho e de falar sobre ele... o tempo todo.

Mandava sempre uns 10 e-mails para você por dia com piadas, correntes, notícias de criancinhas desaparecidas. Astolfo adorava compartilhar. Quando foi nomeado chefe da seção, Astolfo marcou uma apresentação para descontrair os colegas em que apresentou duas horas de um vídeo sobre vinho que ganhou de presente de um cunhado dele. Astolfo queria ver os colegas bem informados.

Mas naquele dia, Astolfo tomou um baque na sua vida... Sobre sua mesa jazia um bilhetinho semi-aberto com os dizeres:

Astolfo,
Morre, desagraçado!
Ass.: anônimo.

Astolfo nunca imaginou que houvesse alguém naquela repartição que detestasse tanto vinho.



Leia também...

Da série ambiente de trabalho I: O doente conveniente... o coitadinho!

Da série ambiente de trabalho II: O preconceito... o perseguido!

Da série ambiente de trabalho III: O amigo do chefe

Da série ambiente de trabalho IV: O afilhado do Almeida


22 comentários:

Flávia Damato disse...

Esse carinha é pior q chiclete no cabelo!!
E saber q os "Astolfos" existem aos montes!... Haja cabelo!... rs

Nem uma ameaça é capaz d fazê-los perceber q despertam exatamente o contrário do q desejam. E, aí,caro amigo, vc escolhe: ou vira homicida, ou pede demissão, ou começa a fazer Ioga (no seu caso, triplica o nº d posts). rs

P.S.: Com um colega de trabalho desses, fácil detestar... "vinho". rs

Bjs!!!

... disse...

Eu não sei o que é pior: o antipático ou o simpático demais.

Gran Magic Carmesin: Nat Valarini disse...

Bom dia!

Que crônica maravilhosa!

Acho que esse texto deveria ser publicado num jornal de grande circulação, pois o que eu já vi de pessoas parecidíssimas com este tal Astolfo...

Será que estas pessoas mudariam se lessem?

hihhi...

Você sempre escreve coisas maravilhosas.

Bjoks!


http://garotapendurada.blogspot.com/

Mr. e Mrs. Ironia disse...

Astolfo nunca é convidado para as festas secretas do escritório...

Ironia do destino: sempre há um Astolfo ao lado...

Pedro Junior disse...

Olá essa busca do equilibrio é complicado... mas esse Astolfo parece ser chato d+++++++++++++++

T+
Abraços
Só esperando a sua visita um ótimo final de semana!

www.visaocontraria.blogspot.com

Michell Niero disse...

Ah, e como existem Astolfos por aí. E não só Astolfos mas também Astolfas!

No percurso que tive como funcionário de um grande banco, foram diversas Astorfas a perturbar minha paz. Diversas fotos de casamento, batizado, bebê recém-nascido. Sem falar nas rifas, as malditas rifas.

All3X disse...

Astolfo é boa gente, é assim mesmo. Existem aquelas pessoas que querem ser simpáticas, mas pecam por excesso.
O erro está naquela pessoa que nunca chegou pessoalmente para ele e disse exatamente como era a situação. Ser franco nessa hora pode ajudar.
Astolfo só precisa de compreensão, e de alguém que 'puxe' um pouco a sua orelha...rs

Ah, "Eu não sei o que é pior: o antipático ou o simpático demais".(2)

Valeu Marcelo,
All3X

Fogo disse...

wuhahahahahahahaha

essa foto é do antónio guterrez ex-primeiro ministro português...

http://fogodeletras.blogspot.com/

Marcelo disse...

Eu sei..
Eu nunca vi alguém com tanta cara de bonzinho nessa vida... a foto é perfeita..
rs

... disse...

Refaço meu comentário: o simpático demais é pior do que o antipático, pois esse a gente pode mandar à merda por seus abusos. O simpático não tem como ou você que vai ficar com fama de estúpido. Afinal, ele só está sendo "legal".

Caio Rudá disse...

Como já falaram, lidar com o super simpático é mais difícil do que com o antipático.

Você se sente na obrigação de não ser desagradável com ele, e se o é acaba morrendo de remorsos depois. Problema danado...

Por isso eu sempre digo que o melhor é ser anti-social :D

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Cara, você deveria lançar um livro com essas crônicas...rsrs
O pior é que o chato, não sabe que é chato...
E-mail de criança desaparecida é foda...rsrs


Abraços!!!

http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

Marcio Sarge disse...

Marcelo em minha opinião essa foi a melhor de toda a série, o chato é que ela, por forças desconhecidas, emerge das profundezas de ficção e se torna real, afinal de contas quem nunca viu um desses chatinhos no trabalho?

Ms. Molly Bloom disse...

Marcelo,
Valeu pelos comments em meu blog.
Seu saco é de filó, eu sei, mas como sou tua fã, deixei lá um presente pra ti.

http://superslainte.blogspot.com/

Beth Ribeiro disse...

Excelente!!!!

Bom fim de semana!!

Abraços

Jorge Fortunato disse...

Esse Astolfo é um mala, um baú sem alça, um verdadeiro tartufo! Quero esse cara longe de mim..rs

Anônimo disse...

Ambiente corporativo é um campo fértil para a criação de personagens. Adorei o texto!

Anônimo disse...

O pior que não é piada, esses caras existem e podem levar qualquer um a loucura.

Evandro Varella disse...

Esse universo do trabalho é realmente inspirador...rsss.
Sua crônica me lembrou muito daquela antiga música do Oswaldo Montenegro "O Chato"...Ahh todo chato é bonzinho...

Abraços

Henrique Hemidio disse...

Boa chefe..!

Anna Corbo disse...

só o nome já ENCHE.... ASTOLFO....

Clarissa Mieko disse...

Coitado do Astolfo, ele só queria ser um cara legal...rs...rs...

Excelente texto!
Adorei!