terça-feira, 25 de novembro de 2008

Da série ambiente de trabalho IV: O afilhado do Almeida

O Dr. Almeida é como uma entidade espiritual, está presente sem ser notado e todos acabam lhe pedindo favores algum dia. O afilhado do Almeida chegou assim no RH da empresa. Quando souberam quem era, logo trataram de lhe contratar para um cargo qualquer. Afinal, o cara é afilhado do homem e a gente nunca sabe quando vai precisar dele. Horário era para os mortais, pois o afilhado do Dr. Almeida não podia ser submetido a isso. Lista de corte, o afilhado do Almeida estava fora. Alguém é louco de desagradar o homem? Só tinha até a quarta série, mas quem precisa de mais quando se tem o Almeida como padrinho? Tirava licenças médicas uma atrás da outra, mas questionar o excesso.. nem pensar. Cara, você sabe com que está lidando? Então fica na sua...

Um dia, o Dr. Almeida faleceu quando caminhava de casa para a repartição em que trabalhava como chefe... No dia seguinte, a empresa teve uma redução de despesas com pessoal... o afilhado do Dr. Almeida foi para a rua.

Na porta do RH chegava um rapazinho franzino, branquinho, de pernas arqueadas e óculos e se apresentava:

- Bom dia, eu vim deixar meu currículo, seu sou sobrinho do Dr. Caldeira lá da repartição, que ficou no lugar do falecido Dr. Almeida...

Leia também...

Da série ambiente de trabalho I: O doente conveniente... o coitadinho!

Da série ambiente de trabalho II: O preconceito... o perseguido!

Da série ambiente de trabalho III: O amigo do chefe



20 comentários:

Lilian Devlin disse...

Marcelo,
Eu já comentei anteriormente que eu trabalho numa empresa onde um dos sócios é meu amigo. Pois bem, quando entrei eu ouvi um comentário de uma pessoa dizendo que eu eu era "peixe" e que por isso tinha alguns privilégios( sinceramente, não sei quais são, porque trabalho prá caramba!rs). E não é que eu descobri depois que quem me acusava era IRMÃO de um outro sócio? Ou seja, a coisa na verdade era um aquário, né?rsrs
Bjs!

Laila disse...

O nepotismo é interessante. Já que eu não posso contratar meus parentes, eu contrato os seus que você contrata os meus.

Carlos Cruz disse...

soube que numa certa universidade, numa certa cidade do interior de um certo estado tupiniquim, tem um certo aluno que é afilhado de um tal dr. marcelo. o cara falta todas as aulas, não faz prova e sempre passa com ótimas notas... mas devem ser só rumores.

hehehe.

muito boa a série.

Marcelo disse...

rs...

Carlos,

Estou muito longe de ser Dr. Almeida... Aliás, vocês sabem das histórias por aqui. Afilhado meu nessa altura do campeonato tem é que jurar que nunca me viu mais gordo senão é ele que leva chumbo...rs
rs
rs

Abs

Anônimo disse...

Está história narra o que mais acontece no Brasil, o jogo de favores que perpetua a incopetência nas repartições públicas.

Wander Veroni disse...

Oi, Marcelo!

Tive a oportunidade de trabalhar durante dois anos na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, na assessoria de imprensa. O que me deixava mais triste enquanto profissional era ver que alguns conseguiam ascensão profissional por apadrinhamento, e não por competência.

Claro, não são tds os políticos que fazem isso. Mas o nepotismo ainda é algo muito presente na cultura profissional brasileira. Isso me deixa muito chateado, sem brincadeira.

Li o conto do Dr. Almeida e me lembrei certinho da minha época lá no legislativo mineiro. Calma, não fui apadrinhado. Até pq se fosse, estaria lá até hoje. Era estagiário. Fiz uma seleção prévia e passei. Foi um aprendizado interessante para a minha vida pessoal e profissional - foi a época em que me comecei a me interessar mais por política e perdi muitos dos conceitos de senso comum que temos em relação ao legislativo.

Ah, adorei o que escreveu lá no Café. Temos que ter fé para que venha tempos melhores na blogsfera!

Abraço,

=]
----------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Anônimo disse...

Ah, o afilhado do Almeida... O safado ganhava mais do que eu para nada fazer. Na verdade, ele fazia sim, ele espreitava. Ao menor deslize, o Almeida era informado de tudo. Queria que a minha mãe tivesse conhecido o Almeida na época do meu batizado. Pelo menos para alguma coisa essa prática cristã serviria...

De fato, é estranho que um batizado, que teoricamente livra as pessoas do pecado original, gere outros tantos pecados NADA originais, porque de afilhados e Almeidas o mundo está cheio!

P. Florindo disse...

Retribuindo o seu último comentário no meu blog.

Infelizmente isso também acontece bastante na empresa onde eu trabalho. Muita gente que ocupa cargos importantes na minha empresa é parente dos donos: filhos, sobrinhos, genros, noras... Mas a empresa que faz isso é burra, pois poderia ser bem mais produtiva se promovesse alguém quer realmente sabe trabalhar, ao invés de um Zé Ruela que não sabe fazer nada sozinho e que se acha o dono da verdade, só porque ele é parente de fulano de tal.

LETÍCIA CASTRO disse...

E a cadeia se perpetua, né amigão?
Que triste realidade! Temos aí a recente lei contra o nepotismo, vai precisar de super fiscalização, como tudo no Brasil, mas, pelo menos, já está regulamentada. Adoraria ver um corte geral, principalmente no funcionalismo público, onde muitos concursos são de fachada, apenas para comprovar a entrada de alguém.
Beijos pra vc!

Moderador disse...

fora ao nepotismo

=pp

Andrea Jonsson disse...

isso não acontece só em reparticão... de afilhados a política tá cheia...

Anônimo disse...

e viva quem tem QI!!!!!!!!!

Kacau disse...

Ah mais aqui onde eu moro tem muitos e muitos afilhados, vai dizer alguma coisa pra tu ver e ainda nas eleições ainda o povo reelegeu o homem, as vezes acredito que o povo tem o governo que merece.

Miriã Soares disse...

...cansada de ver isso... e penso que quase todo mundo tb...

Jheferson Henrich disse...

adorei ...
Esse é nosso Brasil, Brasil brasileiro.

hehe...sempre há esperança para a árvore cortada, mas não dizem também que pau que nasce torto, morre torto?

adoro contradições^^

Aline Dias disse...

O que mais me impressionou nem foi o afilhado, mas o poder do Dr Almeida.

Bruno Battousai disse...

mUITO CHEIA A POLITICA DE AFILHADOS ESTA!
SEM CHANCE!

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

É bem assim mesmo...rsrs
Onde eu trabalhava tinha uma menina que era irmã da gerente e ianda namorava o meu supervisor...rsrs
Geralmente esse povo que trabalha por indicação, é tudo ruim de serviço, mas não é demitido,pois é irmão de fulano...

Abraços!!!


http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

Flávia Damato disse...

Eu sofri esses "olhares" quando trabalhava na mesma escola da minha comadre. Cheguei a ouvir histórias de que EU seria uma das poucas a serem demitidas, porque tinnha "as costas quentes". Pode? Pior q pode!

Engraçado era quando queriam algum tipo de "favor", e me escolhiam como intercessora. Mesmo deixando claro q ali, no ambiente de trabalho, éramos iguais, a insistência continuava. Aff!

É, meu caro, quando se está ou se é colocado na posição do afilhado do Dr. Almeida, a coisa se complica... E haja estômago! rs

Bjs!!!

All3X disse...

Marcelo, agora sim você tratau de uma espécie de funcionário que realmente causa muito desconforto para os demais.
Apadrinhamento demonstra para os demais que competência para estar ali não basta, deve ter alguém que te indique. O que faz com que se perca a vontade de querer se promover profissionalmente não por qualidade de seu trabalho, mas passando por cima dos demais.
Nepotismo os cofres da União, que além de ter elevado número de cargos inúteis (se assim posso chamar), são usados para fins pouco lícitos...
Somos nós que pagamos a conta.
Valeu,
All3X