sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Da série ambiente de trabalho III: O amigo do chefe

Benedito não era um puxa-saco não. Puxa-sacos são aduladores, bajulam sem porquê. Benedito era amigo do chefe e orgulhava-se disso. Estudou numa escola perto da casa tio do cara, conheceu o pai do homem numa farmácia uma vez, sabe o nome dos filhos dele em ordem do mais velho para o mais novo, compra pão na mesma padaria que ele. Enfim, quase irmãos.

Nunca foi a casa do chefe, mas pergunta sempre, quando o encontra, "como vai a esposa, D. Fulana? E as crianças?" com se fossem cumpadres. Quando tem um problema na empresa se oferece para interceder pelas pessoas junto ao chefe. Algo como "Benedito, rogai por nós pecadores". E lá vai Benedito. Não surte efeito porque o chefe está sempre ocupado, mas ele vai me ouvir... uma hora vai.
Nunca entrou na sala do chefe, mas tem certeza que, no dia em que entrar, é para algo muito importante.
Afinal, o cara é seu amigo assim ó, ó. (esfrega os dedinhos)


De longa data...

Leia também...

Da série ambiente de trabalho I: O doente conveniente... o coitadinho!

Da série ambiente de trabalho II: O preconceito... o perseguido!




14 comentários:

Lilian Devlin disse...

Marcelo,
Eu posso dizer que sou amiga do chefe... rsrs Não uma "Benedita", mas amiga de longa data. Trabalhamos juntos em uma empresa no Rio e ele mais tarde virou empresário e me convidou para trabalhar com ele.
E eu com toda certeza devo ter recebido uma boa formação, porque apesar de sermos velhos amigos, eu sou incapaz de entrar na sala dele sem bater e perguntar se ele pode me atender ou usar a nossa amizade para obter algo. Não acho legal misturar as coisas, inclusive porque perco o direito de cobrar dele ações de um chefe, né?
Bjs e um ótimo fim de semana!

All3X disse...

Muito bom o comentário de Lilian logo aqui em cima. Saber separar a atividade profissional da pessoal é algo que muitos não conseguem fazer. E não cabe ficar criando falsas relações de amizade quando não existem... se houver de acontecer, deve ser algo natural.
Excelene Marcelo, até mais,
All3X

Flávia Damato disse...

Acho realmente saudável quando aprendemos a separar amigos de trabalhos. Nesta questão, a frase "amigos, amigos, negócios a parte" se encaixa sem esforço. E deve mesmo ser sempre assim, na minha opinião.

Eu já trabalhei em uma escola tendo como chefe a minha comadre, amiga de infância, e sempre mantivemos uma relação harmônica, como acredito q deve ser num ambiente de trabalho ou outro lugar qualquer, sem deixar q a nossa grande amizade interferisse no âmbito profissional. Nunca fui uma "Benedita"! rs

Um outro caso é ser sua aluna, por exemplo (huummm)rs. Tenho q me policiar para lembrar q o fato d nos conhecermos há 7 anos (nossa, isso tudo)rsrs, e ainda assim não sermos amigos íntimos, não me dá o direito d me dirigir a vc, em sala, como colegas d praça, apesar d acontecer algumas vezes. rs
Mas vc tbm não facilita, né! rsrs
Ih, olha a Benetida aí! rs

Só espero q não se chateie por isso... "fessôr"! rs

Bjs!!!

Wander Veroni disse...

Oi, Marcelo!

XXxxx...coitado do Benedito! É importante não misturar as coisas no ambiente de trabalho. Amizade é uma coisa que vem com o tempo de convivência e intimidade, não é pq eles tem locais em comum que vão ser grandes amigos? É preciso ter bom senso.

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

humor lecal disse...

Conheço um cara identico ao que vc escreveu rs

as vezes é muito chato isso

Euzer Lopes disse...

Sou até capaz de imaginar a cena... Como você disse que Benedito nunca entrou na sala do chefe, então ele não é o faxineiro da empresa... Ou é, mas tem ordens para não limpar lá.

Bia *~* Ballu disse...

hahaha, amei, os bichos do ambiente de trabalho são diversos x)



http://alacarte-domeujeito.blogspot.com

Mr. e Mrs. Ironia disse...

ô Benê.... um dia, um dia tu entra na sala do chefe...

Ótimo blog!


http://causacasal.blogspot.com/

Sua ironia diária

Viviane Righi disse...

Essa coisa de misturar as coisas no ambiente de trabalho não dá certo mesmo. Tenho uma grande amiga, de "longa data também", mas essa é amiga de verdade e coincidentemente somos colegas de trabalho da prefeitura de BH. Mas, ao contrário disso que você expôs, sempre preferimos tocar nos assuntos pessoais num ambiente mais adequado, sem nos expor. Achamos melhor assim...

Ellen Regina - facetasdemim disse...

Eu até ficaria feliz se em vez de baba-ovos tivessem alguns "Beneditos" lá no meu trabalho... Lidar com puxa-sacos de um chefe FdP é realmente um saco!

Eu, particularmente, teria [tenho] vergonha de viver assim, à sombra de alguém, meu amigo ou não. Mas o que sou eu diante desse universo gigantesco? srsrs.

joão áquila disse...

eu prefiro ser respeitado pelo chefe

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Onde eu trabalhava tinha alguns Beneditos, em todo lugar tem uma...rs


http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

Caio Rudá disse...

Ó gente, deixem o Benedito em paz. Ele só tá tentando ganhar sua promoção ou conquistar a confiança do chefe para compensar o péssimo serviço que desempenha.

Sabe, numa eventualidade, vai que a empresa tem que cortar custos? A amizade salva a situação. Ele também é pai de família, tem que sustentar a casa...

LETÍCIA CASTRO disse...

Adorei a ilustração com o Mr. Burns. hehehe Imagina se ele fosse puxa-saco. E o pior é que alguns chefes gostam dos tais aduladores e os promovem em lugar de quem realmente pode ocupar a posição. Sem o devido respeito, é claro, mas os promovem. Massa de manobra, né? Nem sempre fácil, pois a maioria dos puxa-sacos são lobo em pele de cordeiro.
Mais beijos!