sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Da série ambiente de trabalho I: O doente conveniente... o coitadinho!

Adalberto tinha problemas sérios de saúde, embora ninguém nunca soubesse ao certo quais. No serviço, se o advertiam, logo, alguém chamava a atenção: Cuidado, ele tem problemas de coração! Se ele chegava atrasado, um olhar de repreensão era o máximo que recebia. Falar com ele? Nem pensar! Ele tinha problema de pressão sério mesmo. Na primeira promoção que aparecia na empresa, logo o indicavam ainda que sua competência estivesse muito aquém. Coitado! Tinha família para cuidar e ainda era doente, né!?

Se o trabalho que ele deveria fazer, e não fazia, acumulava, logo, uns colegas se apressavam em fazê-lo. Pobre coitado, tem problema de nervos, diziam. Na firma, durante uma crise, todos foram mandados embora, mas Adalberto ficou lá. Firme e forte,.. coitado... a esposa tinha problemas de saúde terríveis e ele ia de mal a pior a cada dia que passava.

Adalberto morreu aos 98 anos, saudável, dormindo...

No velório, alguns sussuravam:

- Vê só, foi Deus que o manteve vivo.. só Deus mesmo.

Adalberto sorria levemente no caixão como quem sentia um imenso alívio de uma gripe mal curada aos 10 anos e que virou um boato que lhe rendeu a vida toda de berço esplêndido.

Postar um comentário