sábado, 18 de outubro de 2008

Em nome da tradição, louvemos a estupidez humana.

Será será que será que será que será
Será que essa minha estúpida retórica
Terá que soar, terá que se ouvir
Por mais zil anos?
Podres poderes,
Caetano Veloso


Na Revista Veja desta semana, saiu a história de uma menininha no Nepal que foi proclamada como deusa aos 3 anos. Ela será tratada como deusa (parece aquela musiquinha irritante da Rosana: como uma deusa, você me mantém...) viva até a primeira menstruação, quando retorna à condição de mortal e carrega consigo a maldição de dar azar a qualquer um que venha a se casar com ela.
Para isso, eles se baseiam na mais pura lógica nepalense, mapa astral, sinais de divindade, aura, leituras de vidas passadas.. enfim, ciência, a mais pura ciência da idade antiga. Enfim, isso era a maior moda no ano 10 a.C.

Então, a menininha vive como uma deusa cujos arrotos ou diarréias são o presságio de desgraças infindáveis: algo do tipo, a deusinha está com gases, caiu a bolsa, a deusa está com o nariz escorrendo, sinal de uma grande chuva... e vai por aí.

Qual é o problema?

Pois é, toda vez que se levanta essa bola das tradições, vem sempre um politicamente correto falar que isso, assim como apedrejamento de adúlteras, extração de clitóris, venda de crianças para trabalho escravo, entre outras barbáries pelo mundo, são culturais e que não podemos julgar uma cultura dessa forma, pois culturas são distintas e devem ser respeitadas em sua diversidade.
Aí, em nome disso, mantêm-se também coisas como a tourada, farra do boi (para mim quase a mesma coisa) e um largo rol de coisas estúpidas.
É tradição...
A essa retórica vazia, há um argumento de forte apelo intelectual e humanístico:


Tradição é o escambau!


Até quando destituir uma criança de sua infância em nome da perversão de adultos é tradição? Desde quando apedrejar uma mulher porque julgam-na adultera é tradição, ou mesmo extrair o clitóris porque é negado por "Deus" o prazer à mulher é algo que deva ser cultuado como cultural? Até que ponto, torturar um animal até a morte é um costume que nos engrandece e merece ser mantido?
Até quando será que esta estúpida retórica de "cultural e tradição" vai mascarar o nosso desejo de varrer toda nossa barbárie para debaixo dos tapetes.
Até quando defenderão o direto à estupidez em nome da diversidade e do direito de parecer "intelectual"...?


42 comentários:

Anônimo disse...

É incompreensível a forma como os mulçumanos tratam as mulheres. É simplesmente um absurdo. O que dizer da China, então?

Sinceramente, cultura não é sinônimo de estupidez, ignorância, intolerância ou crueldade!

Marcio Sarge disse...

Todas essa estupidez travestida de tradições são de fato isso, "o parecer intelectual"
Como no Brasil temos a tradição de ler a Veja e acharmos que estamos informados sempre, no caso acima mostra-nos que isso acontece só por vezes, mas ainda assim é um perigo ao leitor rs.

Abraço.

Tiago disse...

Você já sabe que eu sou um ferrenho opositor do politicamente correto, mas, após tantas cadeiras de antropologia cultural e sociologia na faculdade, eu achava que era muita soberba declarar que tal costume é errado porque não faz parte da minha cultura (evitar o tal do etnocentrismo cultural). Mas ultimamente tenho parado com essa bobagem e pensado que faz parte da evolução do comportamento humano abolir hábitos e costumes medonhos com o passar do tempo, ou ainda estaríamos queimando "bruxas" na fogueira até hoje. E eu sou totalmente contra touradas, farra do boi, vaquejadas e rodeios (você já viu o que fazem com os bois e cavalos para eles darem aqueles pinotes todo na arena do rodeio?). Quer emoções fortes? Coloca uma sela na sogra, cutuca a velha com o garfo e monta nela.

All3X disse...

Esse seu post foi muito bom. Concordo muito com você. Somos dois absolutistas culturais que, ao contrário dos relativistas culturais, acreditamos que existem valores que se sobrepõem à cultura. A vida, a dignidade, a liberdade de autodeterminação, entre outros direitos, devem ter conteúdo uniforme em qualquer sociedade, por isso os defendemos.
Muito bom.
Abraços,
All3X

A'ZaF disse...

Cara, tradição é tradição...alguns concordam, outros não.

Estou terminando de ler o livro "Adeus China o último bailarino de Mao" e conta muito da cultura e dificuldades do comunismo, leis, regras...é um terror.

Essa coisa de deuses e deusa, a menina ser deusa e quando menstruar vai perder a divindidade, pra quem acredita nisso tudo bem, mas eles são tão tapados assim :?

Eu penso que cada um segue a tradição que quer seguir, por livre escolha, nada de ser obrigado a fazer o que não quer, ou no caso da criança (ou dos animais), que não podem responder por si mesmas, estes não deveriam passar por esse tipo de situação...é lamentável.


eu poderia ficar falando aqui meia hora, mas já tá grande e chato meu comentário...então Abrax 0/

A'ZaF

Viviane Righi disse...

Respondendo a pergunta final: Até quando houver um público ignorante, que aceite coisas desse tipo com um belo sorriso no rosto.

E não houver alguém corajoso o bastante para lutar contra tantos infortúnios... em nome da tal tradição!

dudalak disse...

Infelizmente você está certo, muitas pessoas pensam que estão sendo leais á sua cultura fazem coisas horriveis!
Esse lance de tourada eu acho um absurdo, eu vejo em desenhos, em filmes pessoas se divertindo e não acredito que isso existe!
Aí eu converso com meus amigos (alguns e é até entre aspas) e eles nem ligam aí eu falo: e se vc fosse aquele bicho ou pessoa? - aí meus "amigos" falam: mas não eu não sou - ou seja, nunca sabem o que responder, ou melhor, sabem que estou certa mas não querem dar o braço á torcer, detesto isso!

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

O problema é: quem é vc para meter o dedo na cara de membros de outras culturas? Mudar a realidade de outras sociedades geraria resistência, implicaria em luta e mortes.

Q tipo de bárbaro sanguinário e inculto defende a guerra para fazer prevalecer seus pontos de vista? É muita sanha de violência.

Anônimo disse...

eu jah tinha visto isso da menininha... antes de ser considerada deusa ela passou por um teste, ficar uma noite num quarto escuro com cabeças de animais sacrificados em volta dela, se ela não sentisse medo, ela era a deusa...

e se vc quer outro absurdo, procura no google pela menina de 5 anos gravida... mto estranho


da uma passada
http://blogdatolinha.blogspot.com/

Wander Veroni disse...

Oi, Marcelo!

Isso já tá ficando até repetitivo afirmar. Por incrível que pareça, li num blog, há mais ou mesmo uns três meses atrás, a notícia dessa menina que foi intitulada como Deusa. Mais uma vez os grandes veículos repercutindo os blogs...o que dá uma outra análise....pena que não lembro o link, se não vc também ia concordar.

Mas, enfim...também acho que algumas tradições tem um Q de perversão ou tortura demasiada. Quanto mais eu olho para essas coisas do mundo, mais eu gosto da cultura brasileira...hehehehe.

Adorei seu texto!

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Andrea Vaz disse...

O mundo está repleto de injustiças, das quais só podemos ficar indignados...é muito difícil modificar crenças e outros costumes...e o que está por detras disto é o tal poder, que certas pessoas nao querem perder, vc concorda?! Adorei seu post, parabéns! Aguardo sua visita:

http://rascunhosdeandreavaz.blogspot.com/

Diego disse...

os humanos são seres incompreensíveis.
muito legal esse blog!
parabéns.

Luly disse...

Nossa... que coisa mais estranha e arcaica! E ainda vai ter ALGUÉM que vai querer casar com ela?

Coitada da criança... Isso se chama fundamentalismo.

http://www.rosas-inglesas.blogspot.com/

Anônimo disse...

Tem certos elementos do cotidianos que devem sim ser respeitados, mas quando o assunto envolve mais de uma pessoa e começa a tomar conta da sociedade como as boiadas, aí sim tem de ser evitado.
Acho que poderiam experimentar, colocar um toureiro destes para ser o boi. Ele provavelmente nunca mais iria fazer a mesma coisa que faz com um boi.
É triste ver as pessoas sacrificarem os outros só por prazer, como arrancar o clítoris e tudo mais. Além de não fazer fundamento nenhum, sempre acabam prejudicando a vida alheia.
É aquele velho ditado; "não faço com os outros o que não querem que faça contigo".

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

É ridiculo isso tudo, vc já disee tudo é pura ignorância.
Eu vi no programa "A Noite é uma Criança" uma cidade na Dinamarca, os jovens quando atingem, eles matam os elefantes marinhos. Isso por que é uma "tradiçã" que passa de geração para geração.

Anônimo disse...

O que eu acho mais legal disso tudo é que nem mesmo a base de tudo, o fórum, vai resolver o problema.
Falar, conversar, dialogar, grita, espernear não vão adiantar de nada.
É melhor tomar atitudes que entram na lei.
Vamos criar um fórum para falarmos da eficácia fórum?

Alcione Torres disse...

Puxa, não sou a única no mundo "politicamente incorreta"! rsrs
Também abomino tudo isso. Acho que certas tradições não deveriam mais existir. Com a consciência que o homem hoje já tem do mundo (mesmo faltando muito ainda) não cabem mais essas atrocidades em nome da manutenção de uma tradição.

http://sarapateldecoruja.blogspot.com/

Anônimo disse...

gostei do teu Blog
informações legais
parabéns

vai la no meu depois

http://pcsouzabv.blog.uol.com.br/

Darinha disse...

Acho que o mundo deveria evoluir... tradições são tradições... mas deveria trazer alguma vantagem para o mundo... não o sofrimento de animais... a infelicidade de uma pequena menina que num sabe de nd... E também a diminuição de uma pessoa da sociedade...
acho que isso deveria se acabar mesmo... imagina q alguma tradição fala que o país deve ser exterminado em uma certa data... aí todo mundo começa a matar todo mundo.... (nossa que exemplo estranho.. rsrs)....

Pois é isso q eu penso...
bjuss e o blog é bem interessante... http://hectoplasma.blogspot.com

Flávia Damato disse...

Não retiro uma vírgula sequer das suas considerações finais! Pelo contrário, assino embaixo!

Chocam-me todos esses absurdos (considerados culturas), fora os q não foram citados (não haveria espaço, entendo). Só d pensar no sofrimento imposto às crianças do sexo feminino d alguns países africanos (se não me engano) na extração do clitóris, fico arrepiada. Até porque, se Deus tivesse privado o prazer sexual à mulher (razão alegada por eles), já teríamos nascido sem.

A tourada é outro absurdo (como os rodeios. É O Q EU PENSO). Maravilhoso mostrar poder, força, agilidade, quando se tem espada na mão. Adoraria ver os toureiros "lutando" bravamente usando apenas as mãos. Quem seria o vencedor, hein? Eu sei. Por essas e outras q fico bastante feliz ao me deparar com cenas como a da foto deste post.

Melhor eu parar por aqui. Eu teria q escrever um post p/ dizer tudo o q penso a respeito dessas... "culturas".

Mandou muuuuuuuuuuuuuito bem! Novidade no elogio? rs

Bjs!!!

Liizy disse...

Eu odeio essas tradições, e eu nunca que iria parecer intelectual, nunca vi uma pessoa de cabelo roxo intelectual =x, muitas tradições deveriam mudar...

sanger disse...

O senhor colocou uma questão da ordem do dia. Você utilizou de um exemplo em que a maioria dos comentadores estava de acordo.O relativismo cultural tem esse limite mesmo.

Contudo, devemos nos perguntar quais são valores que são compartilhados por todos.

Dando o exemplo de nossa sociedade brasileira, observarmos que os chamados "direitos humanos" não é um valor absoluto no nosso país. E isso não é questão de ignorância. Tem muita gente "esclarecida" qua ainda acha que vamos resolver nossas questões sociais na base da violência.
Fica então a pergunta: como criamos um valor compartilhado por todos?
Abraços!

Veiga disse...

essa parada do Nepal eh bizonha...

e sou contra touradas, rodeios e afins... torço pros caras se machucarem msm. acho mt sacanagem com os animais.

^^

http://www.trocistas.com/

Michel Domenech disse...

Ótimo texto, bastante crítico. Ninguém jamais para pra pensar nas "tradições", porém estas nada mais são do que convenções que pessoas tomaram e disseminaram e a consequência das que vingam é que todo mundo segue sem questionar.

Eu postei algo parecido no meu blog, caso tenha interesse de ver é o texto intitulado "pense nisso"

Parabéns pelo blog.

Thiago (thi) disse...

você é propriamente um exemplo de tradições. Dai sua revolta, só por essas outras não te agradarem.
cultura e tradição.
deixe de ser um pouco hipócrita.
o que você acha justo outros acharão injusto e vice-versa. tudo vêm dos costumes e hábitos.
o ato de cortar a mão de um ladrão para uma pessoa de uma dada cultura pode ser d+, mas deixar o cara 5 anos de sua vida encarcerado tbm pode ser para um outro.

www.bobeirola.blogspot.com , por um mundo mais bobo.

Thiago (thi) disse...

exemplo de tradição absurda de sua/nossa cultura:
fazer sexo sem ser para procriação.
outras culturas acham isso um absurdo e hoje em dia nos parece um ato "banal" fazer sexo de camisinha ou com uso da pílula.
entenda, o mundo não gira em torno do seu umbigo. mude o ponto de vista, e tudo muda.

tópico bem polêmico, parabéns (pela dinâmica, não pela opinião)

Cruela disse...

meu cu para o cultural

vou criar uma cultura: na minha terra é cultural todas as pessoas doarem para a minha família 15% dos seus rendimentos.

Vitor Isidoro disse...

Adorei o senso crítico..!

E sim,a Monalisa é digna de preguiça ...rsrs, mas foi uma conotação com significados peculiares, os quais me levaram a usá-la...
=D

Marcelo disse...

Thiago,

Fazer sexo sem fins procriativos é uma tradição cultural?? Acho que você não entendeu, mas, enfim...
Valeu pela sua opinião.


Marcelo

Thiago (thi) disse...

para os Hare Krishna sexo só tem fins reprodutivos onde isso é uma tradição religio-cultural e (tbm) vêem com "maus olhos" o contrario.

Thata disse...

Sim, cada país tem sua cultura, suas crenças e tudo o mais. Mas ainda assim, acredito que maus tratos a animais e a pessoas, tradições que limitem o ser humano e seu direito de escolha, são dignas de leis proibitivas.
É por isso que eu amo tanto morar em um país com uma diveridade cultural tão grande.



Bejoo :*

Willyan Cordeiro disse...

Quanto tempo não venho aqui!
Tava até com saudades já uai, e vejo que perdi mta coisa.

Pois é, a questão cultural permite que pessoas façam coisas um tanto selvagens e até cruéis. A questão do boi por exemplo: Se tem uma coisa que não gosto é de rodeio em festa de exposição agropecuária. Nao sou fã do "esporte", e nem acho legal os caras ficarem maltratando os probres bichos.

Abraços!

Flávia Damato disse...

Marcelo,
Não precisa aceitar se não quiser.

Esse Thiago não entendeu nada mesmo!

Meu caro, não é uma questão d uns acharem errado e outros não. Mto fácil concordar c/ uma tradição quando não fazemos parte direta dela. Talvez vc concorde com extração do clitóris às crianças africanas A SANGUE FRIO, afinal, vc não faz parte dessas tribos e não é mulher; fácil aceitar as touradas, vc não é o touro; deve ser fácil p/ vc, tbm, assistir a rodeios e reverenciar o peão, pois não é vc quem leva esporadas e tem e seu saco apertado ao máximo, só p/ fazê-lo pular e alegrar a multidão; fácil achar hipócritas as pessoas q defendem o direito à vida, e q não conseguem ver nenhum sentido nessas barbáries cometidas a seres humanos e aos animais em nome do q chamam d "cultura".

Agora, vc poderia mto bem ter vindo aqui e colocado o seu ponto d vista sem ter q agredir a quem quer q seja. Senti-me ofendida pelas suas palavras ao Marcelo, pq tbm compartilho da opinião dele. E mesmo se fosse o contrário, exporia meu pensamento e tentaria argumentar contra AS IDÉIAS, nunca contra as pessoas.

Já é hora d vc aprender a defender suas idéias sem ter q partir p/ a ignorância, meu caro. Ninguém é obrigado a pensar da mesma forma, e se ele é hipócrita (segundo suas palavras), vc não foi nem um pouco diferente. Ou será q devemos acatar o SEU pensamento p/ deixarmos d ser o vc disse?

Marcelo disse...

Flávia,

É. Realmente, ele não entendeu. Mas sinceramente, não sou eu que vou explicar.
Até que fiquei pensando:
Explico, não explico?
Decidi:
Não. Não explico.

Há roupas que ficam tão bem nas pessoas que é injusto destituí-las.

Escrever é isso: Botar a cara a tapa.
Mesmo para quem nem tenha mão para isso. Mas eu gosto. Divirto-me sempre.

Anônimo disse...

Realmente, ir para um estádio para ver um touro morrer lentamente em pleno sec XXI é uma tradição muito imbecil.

Certas "tradições" devem ser combatidas pelo Ocidente. Mas o Ocidente também tem suas tradições que devem sumir.

vlw.

Anônimo disse...

Comentando o seu "comentário" no meu blog, o amor tem várias faces, até os adjuntos que possuem o seu lado "negro", rs.

Concordo contigo. Uma nova visão!
E quanto ao texto sobre a menina proclamada "deusa" ... ai, ai. Temos deuses demais, o que faltam são os milagres que o povo precisa com urgência!

Abração!

Rodrigo Rudi .

Dário Souza disse...

Desculpa cara mais eu discordo da sua opinião,é a cultura do país do mesmo jeito que costumes nossos podem parecer esquisitos aos olhos deles e nós contiuamos fazendo eles.Agora eu não concordo com o costume em si,mas não é por isso que irei depreciar a cultura alheia.

Petter disse...

Nunca tinha pensado a respeito.Sempre achei que por mais ridiculo e negativo que fosse sempre tratei com indiferença certas ''crenças'' que são levadas a sério.

É de qualquer maneira me fez pensar.

Abração, otimo texto!

Anônimo disse...

Você acha mesmo que as manifestações culturais devem ser todas julgadas de acordo com uma moral global? Sei lá, mas acho interessante essa coisa da diversidade... Provavelmente os nepaleses vivem bem com essa tradição. Realmente a questão de matar animais é um pouco mais difícil de ser defendida, mas deixa a mina ser santa!
Abraço, mano!

Marcelo disse...

Airton,

Já abandonei o politicamente correto há um bom tempo e acho que qualquer tradição que viole os direitos básicos da pessoa (no caso da menina, o direito à infância) é algo reprovável.
Existe, hoje, um discurso da diversidade que justifica e atenua toda barbárie em nome da diversidade cultural. Sei que a intenção por trás desse discurso é a melhro possível, mas, infelizmente, de boas intenções o inferno está repleto.
Pertinente o seu comentário.
Abraço

Marcelo

Lomyne disse...

Acho que é a primeira vez que vou dizer isso para você, mas eu discordo. Vamos separar aqui os exemplos que você deu, antes de eu começar a argumentar: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa completamente diferente. Tradição é uma coisa, religião é outra.

Eu sei, eu seeeeeei que uma criança não deve ser pressionada a seguir uma religião, menos ainda transformada em deusa, mas esta questão é sobre fé. Não misture religião com tradição, existe muita coisa a ser levada em consideração quando uma menina é tratada como deusa, bem mais coisa do que quando se espetam touros.

Acho que quando o assunto mistura religião, qualquer opinião corre o sério risco de ser precipitada. Mesmo que seja sobre clitóris ou circuncisão. Este é definitivamente o assunto mais delicado que existe, meu caro.

Marcelo disse...

Pois é, Lomyne,
Eu já tive este mesmo pensamento, mas tudo que eu vi, tudo que li e tudo que pensei me deixam com uma pergunta que resume todas estas questões:

Qual é o limite do que o homem pode fazer em nome das tradições e de uma fé???

Isso me dá medo.