quarta-feira, 24 de setembro de 2008

O homem ideal e a lei da atração

Lia, fazendo jus ao nome, também escrevia e um dia, leu em um livro de auto-ajuda que fazer uma lista da pessoa ideal era uma maneira de atraí-la para perto de si. A famosa lei da atração... e começou a lista aos 15 anos.

Aos 15
Loiro, de olho azuis, inteligente, rico, sarado, fiel, que me ame, másculo, sensível, que venha num cavalo branco, me beije e me desperte para uma linda história de amor.

Aos 20
Inteligente, rico, fiel, que me ame, másculo, sensível, que tenha um carro, que seja meu companheiro para uma história de amor.

Aos 25
Inteligente, fiel, que me ame, másculo, sensível, que tenha um carro (pode ser popular), que seja meu companheiro.

Aos 30
Fiel, que me ame, másculo, sensível, que tenha um carro (pode ser popular e semi-novo), que seja meu amigo.

Aos 35
Que me ame, másculo, que tenha um carro (pode ser usado com mais de 10 anos), que tenha um bom papo.

Aos 40
Másculo, não precisa ter carro, mas que não seja chato.

Aos 45
Entendamos que beleza é um conceito relativo, inteligência demais é algo cansativo, carro é um ícone do consumismo capitalista, barriga e careca são um charme da maturidade e se, na frente da minha casa, não tem um ponto de ônibus e uma linha do metrô de fácil acesso, eu é que tenho que mudar de casa.

Aos 50
Pendurou uma placa na porta da casa.
"Ofereço vale transporte"


Postar um comentário